União Europeia

Maioria do Parlamento Europeu promove o anti-comunismo e a reescrita da história

A maioria do Parlamento Europeu aprovou hoje, com os votos favoráveis dos deputados do PS, PSD, CDS e PAN, uma grave e abjecta resolução, que constitui mais uma deplorável peça na estratégia de revisionismo histórico promovida pela União Europeia.

Importância da memória europeia para o futuro da Europa

A deplorável tentativa de equiparar fascismo e comunismo absolve e silencia os crimes do nazi-fascismo e as coniventes responsabilidades das grandes potências capitalistas que, com o Tratado de Munique, entre outros, abriram caminho ao início da Segunda Guerra Mundial e à invasão da União Soviética. Uma cumplicidade que hoje persiste!

Últimos desenvolvimentos no que se refere à situação política e à implementação do processo de paz na Colômbia

A situação de incumprimento do acordo de Paz na Colômbia e o recrudescimento da repressão e das perseguições, de que é exemplo a vaga de centenas de assassinatos de dirigentes e activistas sociais e políticos, incluindo antigos integrantes das FARC-EP, actualmente desmobilizados, e seus familiares, assume contornos dramáticos.

Ingerência e desinformação externas nos processos eleitorais e nos processos democráticos nacionais e europeus

A obsessão da UE relativamente à eventual interferência de países terceiros nos processos democráticos dos seus Estados-membros é, mais que tudo, um exercício de cinismo, quando se sabe que é ela própria, a UE, uma fonte constante de ingerência na soberania de outros países.

Sobre a Paramiloidose

A Paramiloidose Amiloidótica Familiar (PAF) é uma doença neurodegenerativa rara de transmissão genética. Os principais focos da doença em Portugal encontram-se no Norte, em Lisboa e na Serra da Estrela, estimando-se que haja cerca de 500 famílias afetadas.

Incêndios florestais na Amazónia

Expressamos aqui toda a nossa solidariedade com o povo brasileiro e com os povos dos demais países afectados pelos grandes incêndios da Amazónia, em particular com as populações que habitam a Floresta Amazónica.
Estes incêndios são um exemplo dramático do que pode suceder quando, como sucede na sociedade capitalista, o objectivo do lucro se sobrepõe a elementares preocupações ambientais e sociais.

Apresentação pelo Conselho da sua posição sobre o projeto de orçamento geral - exercício de 2020

Esta proposta de orçamento é marcada por uma insuficiência global de recursos, por prioridades erradas, o que se traduz numa insuficiência de recursos nas áreas social e ambiental, na coesão, e no aumento das despesas associadas a uma deriva intervencionista no plano externo, militarista e securitária.

Apesar disso, não abdicamos de intervir, até onde nos for possível, com propostas concretas, que possam melhorar a proposta que temos em mãos.

Situação das florestas na UE

A vulnerabilidade da floresta tem expressão concreta na recorrência e dimensão dos incêndios florestais, na predominância de espécies exóticas, na ocorrência de pragas e no insuficiente rendimento dos produtores florestais.

Entre as causas desta vulnerabilidade estão a falta de investimento e a falta de gente, factores indissociáveis das políticas e das orientações da União Europeia.

Nomeação do Presidente do Banco Central Europeu - Candidato: Sr.ª Christine Lagarde

O BCE, o FMI e a Comissão Europeia constituíram a troika que interveio em Portugal, na Grécia e na Irlanda.

Christine Lagarde - que vai do FMI para o BCE - foi grande defensora da chamada austeridade expansionista que inspirou os programas da troika, cujos resultados foram devastadores do ponto de vista económico e social.

Perante o desastre que criou, a Sra. Lagarde desculpou-se com multiplicadores mal estimados. Mas não mudou as suas convicções.

Preparação da Cimeira sobre a Acção Climática e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas em Nova Iorque

A “acção climática”, como já antes o “desenvolvimento sustentável”, saltaram para o centro do discurso político.

Mas para além dos chavões, da propaganda, da superficialidade e até de algum oportunismo no tratamento destes temas, o que fica?

O que fica é a insistência nas mesmas políticas que comprometem o desenvolvimento assente numa relação sustentável entre o homem e a Natureza.