Intervenção de Jerónimo de Sousa

"Temos muito trabalho pela frente e vamos tomá-lo em mãos"

No comício na Maia, Jerónimo de Sousa afirmou que "vivemos uma situação que não prescinde de uma exigente intervenção do Partido, da força organizada dos trabalhadores e dos outros movimentos de massas, da intervenção de todos os democratas empenhados na luta pela mudança e ruptura com a política de direita. Vamos prosseguir com iniciativa do Partido aos vários níveis, designadamente no Parlamento, com novas propostas e novos projectos, mas também empresas, nos campos, na rua e pondo em marcha uma campanha nacional sobre os direitos dos trabalhadores".

Nota de Imprensa

Legalização da privatização da TAP não serve o país

O PCP, face a mais uma medida que não rompe com um longo e acidentado percurso no qual sucessivos governos foram tomando decisões que ameaçaram e limitaram o desenvolvimento da TAP, apela aos trabalhadores da empresa para que reforçarem a sua unidade e luta, em defesa da TAP, do sector aéreo e da soberania nacional.

Ver vídeo

Declaração de João Oliveira

Sobre a proposta de Orçamento do Estado para 2016

Em declarações à comunicação social após a entrega por parte do governo, da proposta de Orçamento do Estado para 2016, João Oliveira afirmou que "numa primeira apreciação destaca-se um conjunto de medidas que dão concretização à posição conjunta estabelecida entre o PCP e o PS, ou a proposta entretanto avançadas pelo PCP. Medidas ainda que com alcance limitado, podem dar resposta a problemas imediatos e a expectativas dos trabalhadores e do povo português."

Intervenção de Jerónimo de Sousa

Não escolhemos o caminho mais fácil, mas aquele que serve os trabalhadores, o povo e o País

No comício realizado no Seixal, Jerónimo de Sousa sublinhou "os trabalhadores e o povo podem contar com a nossa luta e a nossa determinação contra o desemprego e pela criação de emprego, contra a precariedade, pela defesa do direito ao trabalho e ao trabalho com direitos. Podem contar com o PCP na luta para defender, repor e conquistar rendimentos e direitos usurpados nestes anos de PEC e de Troika. Podem contar com a nossa determinação de afirmar Portugal como um País soberano e aberto ao mundo".

Ver vídeo

Intervenção de Jerónimo de Sousa

"Para haver um Estado moderno, os trabalhadores têm de ser respeitados"

No debate quinzenal realizado hoje na Assembleia da República, Jerónimo de Sousa afirmou que "ficou claro que PSD e CDS enganaram os portugueses quando afirmavam em portugal que os cortes eram temporários mas diziam à comissão europeia que eram definitivos, e agora estão preocupados em tentar esconder esse engano premeditado."

Ver vídeo

Declaração de Jerónimo de Sousa

Sobre o resultado das eleições presidenciais

Estas eleições confirmaram a importância do PCP intervir com uma voz própria e autónoma no debate sobre o papel e poderes exigidos ao Presidente da República. Nenhuma outra candidatura inscreveu com idêntica clareza o valor da Constituição da República como referência essencial para um outro rumo na vida política nacional que assegure plenamente o direito dos portugueses e do país ao desenvolvimento, ao progresso e justiça social.

Ver vídeo

Declaração política na Assembleia da República

"É escandaloso que os mais ricos entre os ricos não paguem os impostos devidos"

Na declaração política que o PCP levou hoje à tribuna da Assembleia da República, Paulo Sá afirmou que "não se pode aceitar que aqueles que mais têm fujam ao pagamento dos impostos, sonegando ao Estado receitas fiscais essenciais para assegurar as suas funções, em particular as funções sociais, e exigindo aos restantes contribuintes, em particular aos trabalhadores, um esforço fiscal desmesurado."

Projecto de Lei do PCP de reposição das 35 horas na função pública foi aprovado

A proposta representa o compromisso assumido pelo PCP com os trabalhadores e concretiza uma justa reivindicação, a da reposição das 35 horas de trabalho para todos os trabalhadores na Administração Pública. No PCP assumiu ainda o compromisso de, em momento posterior, apresentar uma proposta de reduzir progressivamente o período de trabalho no sector privado para 35 horas semanais, sem perda de remuneração nem de outros direitos.

Deputado do PCP visita a maior porta de entrada de refugiados e migrantes na Europa

É urgente uma inversão da política da UE para os refugiados e migrantes

Com uma arrogância de recorte colonial a Comissão Europeia visa condicionar o OE 2016

Uma inqualificável operação de pressão e de chantagem

Aos trabalhadores da Administração Pública

Já conseguimos - Lutar vale a pena!

MAIS ESPAÇO, MAIS FESTA

MAIS ESPAÇO, MAIS FESTA.
FUTURO COM ABRIL
AVANTE COM A CAMPANHA!

Aquisição de mais terreno para a Festa do Avante!