Posições Políticas

Avanços no desagravamento do IRS inseparáveis da intervenção do PCP

Avanços no desagravamento do IRS inseparáveis da intervenção do PCP

1- Em 2012, o anterior Governo PSD/CDS, ao mesmo tempo que se preparava para reduzir o imposto que incide sobre os lucros das empresas, levou a cabo um brutal agravamento da tributação sobre os rendimentos do trabalho, por via da redução do número de escalões de IRS, do agravamento das taxas de imposto – incluindo no escalão mais baixo de rendimento –, redução das deduções com despesas de saúde, educação, habitação, etc., e ainda por via da criação de uma sobretaxa extraordinária.

Manipulação, mentira e difamação no comando editorial da TVI

Manipulação, mentira e difamação no comando editorial da TVI

A propósito da caluniosa reportagem visando atingir o PCP e o seu Secretário-Geral

A reportagem exibida pela TVI na abertura do seu Jornal das 8, de 17 de Janeiro, visando o PCP e o seu Secretário-Geral, constitui uma abjecta peça de anticomunismo sustentada na mentira, na calúnia e na difamação.

Ver vídeo
Dar mais força à CDU é construir no presente o futuro de Portugal e do seu povo!

Dar mais força à CDU é construir no presente o futuro de Portugal e do seu povo!

As nossas cordiais saudações a todos os presentes, a todas as componentes que dão corpo ao projecto democrático e unitário da CDU, nomeadamente ao Partido Ecologista «Os Verdes» e à Intervenção Democrática, às muitas individualidades independentes que nos honram com a sua participação e intervenção e uma saudação muito particular a João Ferreira, que agora apresentamos como primeiro candidato da lista da CDU às eleições para o Parlamento Europeu de 26 de Maio.

Ver vídeo
«A luta por uma alternativa patriótica e de esquerda é parte integrante da luta por uma outra Europa, dos trabalhadores e dos povos»

«A luta por uma alternativa patriótica e de esquerda é parte integrante da luta por uma outra Europa, dos trabalhadores e dos povos»

Diz uma velha máxima que um povo sem memória não tem futuro.

Há quase 45 anos, a Revolução de Abril abriu Portugal à Europa e ao mundo. Não falo apenas da curiosidade, do entusiasmo e da esperança com que foi acompanhada, na Europa e no mundo. O 25 de Abril rompeu o isolamento internacional imposto pelo fascismo, afirmou a independência e a soberania nacionais e abriu caminho para se estabelecerem e reforçarem relações económicas e culturais com outros países e povos, nalguns casos pela primeira vez. Em si mesmo, este foi um inquestionável factor de progresso e de desenvolvimento.

Sobre a rejeição pelo Parlamento britânico do denominado Acordo de saída do Reino Unido da União Europeia

Sobre a rejeição pelo Parlamento britânico do denominado Acordo de saída do Reino Unido da União Europeia

Face ao resultado da votação no Parlamento britânico dos termos do denominado Acordo de saída do Reino Unido da União Europeia (UE), o PCP:

– Sublinha que a rejeição pelo Parlamento britânico dos termos deste denominado Acordo é inseparável das pressões, chantagens e manobras que, quer nas instituições da União Europeia, quer na Grã-Bretanha, visaram e visam defraudar, perverter, e se possível reverter, a decisão do povo britânico de saída do Reino Unido da UE, desrespeitando a sua vontade soberana;

Ver vídeo
Melhores reformas e pensões, condições de vida dignas

Melhores reformas e pensões, condições de vida dignas

A luta pelo direito à reforma e a uma pensão digna não é uma aspiração de hoje. Atravessa a prolongada luta de muitas gerações de trabalhadores ao longo de 48 anos de fascismo, que alguns se esforçam por branquear na pretensão de ocultar o que representou em opressão, exploração, atraso social em todas as dimensão da vida de gerações de homens e mulheres obrigados a trabalhar ainda meninos, privados de direitos fundamentais, desde logo de serem crianças, sujeitos bem cedo à exploração nos campos e nas fábricas.

Apelo comum para as eleições para o Parlamento Europeu «Por uma Europa dos trabalhadores e dos povos»

Apelo comum para as eleições para o Parlamento Europeu «Por uma Europa dos trabalhadores e dos povos»

O Partido Comunista Português e outros partidos comunistas, progressistas e de esquerda lançam Apelo comum para as eleições para o Parlamento Europeu sob o lema «Por uma Europa dos trabalhadores e dos povos».

Apelo comum para as eleições para o Parlamento Europeu

Apelo comum para as eleições para o Parlamento Europeu

As eleições para o Parlamento Europeu realizam-se numa conjuntura em que os trabalhadores e os povos dos Estados-membros da União Europeia (UE) enfrentam enormes problemas e impasses. Os trabalhadores são confrontados com a precariedade no trabalho e a fragilização da sua situação social, com as desigualdades, com a pobreza, com os ataques aos salários, às pensões e aos seus direitos. Os povos e, em particular, os jovens são confrontados com o desemprego, a migração económica forçada, o acesso cada vez mais difícil à educação, à saúde e à habitação.

Sobre as opções anunciadas de investimento no Metropolitano de Lisboa

Sobre as opções anunciadas de investimento no Metropolitano de Lisboa

1. Após as eleições de 2015, com a derrota do Governo PSD/CDS, foi possível travar a privatização do Metropolitano de Lisboa (tal como da Carris e dos STCP), repor direitos aos trabalhadores do Metro e travar a profunda degradação desta infraestrutura que é estruturante para a mobilidade das populações na Área Metropolitana de Lisboa.