Posições Políticas

Ver vídeo
Assumimos a valorização salarial como emergência nacional

Assumimos a valorização salarial como emergência nacional

Uma forte saudação a todos os presentes neste tradicional convívio de Verão aqui em Monte Gordo.

Sobre a requisição civil decidida pelo Governo na greve no sector de mercadorias

Sobre a requisição civil decidida pelo Governo na greve no sector de mercadorias

O PCP reafirma a posição já tomada sobre este processo.

Os motoristas de mercadorias enfrentam um vasto conjunto de problemas que se acumularam sem ser possível a negociação de acordo colectivo durante duas décadas.

Em 2018 a FECTRANS e a ANTRAM, fizeram uma negociação do Contrato Colectivo de Trabalho Vertical (CCTV), que deu resposta a algumas das justas aspirações dos trabalhadores e prevê a revisão anual das cláusulas com expressão pecuniária.

A violação dos seus termos por parte de entidades patronais, gerou um legítimo descontentamento dos trabalhadores.

Ver vídeo
Sobre as recentes decisões da Administração Trump no ano em que se assinalam os 74 anos depois de Hiroxima e Nagasáqui

Sobre as recentes decisões da Administração Trump no ano em que se assinalam os 74 anos depois de Hiroxima e Nagasáqui

Assinalam-se nos dias 6 e 9 de Agosto os 74 anos do lançamento pelos EUA das bombas atómicas sobre as cidades japonesas de Hiroxima e Nagasáqui que provocaram a morte, doenças irreparáveis e os mais horríveis sofrimentos a centenas de milhar de seres humanos. Ao assinalar esta data o PCP presta homenagem às vítimas deste monstruoso crime imperialista que não pode cair no esquecimento.

Sobre a greve declarada no sector de mercadorias e a decisão do governo em matéria de serviços mínimos

Sobre a greve declarada no sector de mercadorias e a decisão do governo em matéria de serviços mínimos

1. Aos motoristas de mercadorias - sujeitos a salários baixos, ao prolongamento de horários, a exigências de cumprimento de funções que não lhes competem - assistem fortes razões para fazer valer as suas justas reivindicações.

A propósito de uma denominada conferência nacionalista

A propósito de uma denominada conferência nacionalista

1- O PCP repudia a realização em Portugal de uma denominada conferência nacionalista, anunciada para o próximo dia 10 de Agosto.

2- A realização de tal evento, no ano em que se comemoram os 45 anos da Revolução de Abril, é uma ofensa aos que durante décadas se bateram pela liberdade e a democracia e em vários casos, nomeadamente militantes comunistas, pagaram com a própria vida.

3- O PCP, repudiando tal iniciativa, sublinha os valores progressistas constantes na Constituição da República de rejeição do racismo e xenofobia e de estruturas que perfilhem a ideologia fascista.

Programa eleitoral do PCP – Legislativas 2019

1ª PARTE

Abertura

O País, os direitos dos trabalhadores e do Povo português, conheceram nos últimos anos avanços só possíveis pela luta travada pelos trabalhadores e o Povo e pela acção determinante do PCP.

Novo Banco, um buraco sem fundo

Novo Banco, um buraco sem fundo

Sobre os resultados do 1º semestre de 2019

1 – Com um prejuízo de cerca de 400 milhões de euros, o Novo Banco apresentou hoje as contas do primeiro semestre de 2019. Com mais de 7 mil milhões de euros entregues pelo Estado ao Novo Banco, desde a Resolução do BES em Agosto de 2014, os portugueses continuam a pagar os custos de uma política de gestão ao serviço dos interesses monopolistas.

Sobre o Relatório da Comissão Independente para a Descentralização

Sobre o Relatório da Comissão Independente para a Descentralização

Não há estudo que iluda a questão central: a criação das regiões administrativas é um imperativo constitucional que se encontra por cumprir há 45 anos por opção e responsabilidade, mais ou menos assumida ou dissimulada, em particular de PS e PSD.

No processo dilatório dos que têm mantido por cumprir o que a Constituição da República Portuguesa determina tem sido recorrente o recurso a “estudos” e à criação de “comissões”.

É neste pressuposto e com estes objectivos que tem de ser entendido o que agora resulta da chamada Comissão Independente para a Descentralização.

Sobre os perigos da escalada de guerra no Médio Oriente

Sobre os perigos da escalada de guerra no Médio Oriente

O PCP alerta os trabalhadores e o povo português para a perigosa situação que está a ser criada no Médio Oriente pelos sectores mais belicistas e aventureiros do imperialismo, incluindo a ameaça de uma nova guerra que, a não ser evitada, terá consequências incalculáveis, que ultrapassariam o âmbito desta região.