Artigo de Ruben de Carvalho no «Diário de Notícias»

«A pistola»

Dr. Durão Barroso.

O meu vizinho do 4º direito diz que tenho uma pistola.

Não seria grave, não fora ele afirmar que pretendo utilizá-la para o agredir.

Tivemos já múltiplas conversas. Expliquei que seria ridículo utilizar uma.

Por um lado, não se vê o que resolveria um tiro de pistola; segundo, sei que ele tem quatro revólveres, 12 caçadeiras (duas automáticas e três shot guns), e, consta, uma UZI 9 mm, aliás ilegal.

Ora, com tal desequilíbrio, ninguém equilibrado sairia porta fora aos tiros.

Algo humilhado, deixei-o vasculhar a minha casa. O armário dos remédios, a cama do cão, a caixinha das jóias, tudo.

Disse que a pistola estava no carro. Facultei-lhe as chaves, consenti que desse uma volta, foi até ao Guincho.

Não encontrou nem uma bisnaga, mas não se convenceu.

Diz que é ao contrário: não é ele que tem de provar que tenho a pistola, sou eu que tenho de provar que não a tenho.

Não sei o que fazer.

Tendo em conta o seu comunicado de 5 de Fevereiro sobre o Iraque (onde afirma que lhe cabe «o ónus da prova do seu desarmamento incondicional»), explique-me como posso provar não ter a pistola.

Atentamente.

>
  • Crónica Internacional
  • Durão Barroso
  • Guerra do Iraque