Internacional

Sobre a comunicação do Senhor Presidente da República

1. O PCP regista e avalia de forma positiva o facto de o Presidente da República ter reafirmado as suas anteriores posições em relação à guerra contra o Iraque, e designadamente as suas considerações sobre a ilegitimidade de uma guerra desencadeada unilateralmente pelos EUA fora do quadro das Nações Unidas e em violação do direito internacional.

Debate Mensal com o Primeiro-Ministro sobre a questão do Iraque

A credibilidade e a voz respeitada de Portugal no Mundo é a voz da Paz e não o Portugal da lógica da guerra e do seguidismo.

O Senhor começou por declarar que da Cimeira dos Açores não ia sair nenhuma declaração de guerra. Mas o Senhor sabia que isso não era verdade. O Senhor sabia que a Cimeira dos Açores era uma cimeira de guerra mesmo que não houvesse uma declaração formal nesse sentido.

Sobre a Cimeira dos Açores

1.

Manifesto 15 de Março, por José Saramago

Eles pensavam que nos havíamos cansado de protestar, que os tínhamos deixado à solta para prosseguirem na sua alucinada corrida para a guerra. Equivocaram-se. Nós, estes que hoje nos estamos manifestando, aqui e em todo o mundo, somos como aquela pequena mosca que volta obstinadamente uma vez e outra a cravar o aguilhão nas partes sensíveis da besta. Somos, em palavras populares, claras e precisas para que melhor se entendam, a mosca cojonera do poder.

Cimeira da Guerra nos Açores - Mais um chocante acto de subserviência

A realização, em território nacional, no próximo domingo, de uma Cimeira visando concertar o desencadeamento da guerra «preventiva» e unilateral dos EUA contra o Iraque, reunindo Bush e as suas principais marionetes europeias, constitui mais um chocante testemunho da subserviência e seguidismo do Governo português e do seu envolvimento político na preparação da agressão ao Iraque.

Paz sim, guerra não!

[Extratos]

(...)Paz sim, guerra não!

As questões da paz e da guerra atingem nestes tempos uma dimensão que pode vir a ser trágica.

Bush tem vindo a deixar cair todas as máscaras.

Agora a questão já não se trata do desarmamento do Iraque mas sim de correr com o regime iraquiano, ocupar o Iraque e instalar no seu lugar um dirigente fiel e maleável.

Todos juntos contra a Guerra

«A manifestação»

O prof. Freitas do Amaral não foi à manifestação pela paz. O PS do dr. Ferro Rodrigues também não.

O prof. Freitas do Amaral entendeu que a manifestação fora partidarizada. Em seu entender, tal sucedeu porque houve partidos que a apoiaram. Essencialmente, claro, o PCP.

O PS do dr. Ferro Rodrigues também não foi. As explicações são mais embrulhadas, mas, parece, queria evitar que a manifestação - fosse partidarizada!

Em resumo, não foram.

Percebe-se o prof. Freitas.

«Resumindo e concluindo»

Embora esquecendo-se de dizer em que dia e em que termos, Durão Barroso anunciou na AR na passada quinta-feira, e de forma inteiramente clara, que o seu Governo já tinha autorizado a cedência da Base das Lajes aos EUA.

O anúncio não passou despercebido mas não se perde nada em desvendar melhor o que aquela afirmação verdadeiramente significou.

Sobre mais uma atitude de subserviência de Durão Barroso

O PCP considera lamentável e condenável que o Primeiro-Ministro português se tenha associado a uma declaração conjunta de vários primeiros-ministros europeus com o objectivo de pretender isolar as posições assumidas pela França e Alemanha e pressionar o Conselho de Segurança para que venha a agir como mera caixa de ressonância da fúria belicista da Administração Bush.