Internacional

«Uma outra Europa e um outro mundo são possíveis e necessários»

Permitam-me algumas palavras nesta reunião de trabalho para vos saudar, agradecer a vossa presença em resposta ao convite que vos foi formulado e desejar que este nosso encontro contribua para a concretização de grandes linhas na nossa cooperação no terreno da campanha para o Parlamento Europeu e de um “Apelo Eleitoral” tendo em conta a nossa luta comum e a experiência positiva do Grupo da Esquerda Unitária /Verde Nórdica, as posições diferenciadas e as especificidades de cada um dos nosso países.

PCP no Chile

Representante do PCP : Francisco Lopes, membro da Comissão Política e do Secretariado do CC
Avante Edição N.º 1572, 15-01-2004

Encontro de partidos de esquerda em Paris

A convite do Partido Comunista Francês reuniram-se em Paris cerca de duas dezenas de partidos comunistas e outros partidos de esquerda da Europa, em que o PCP esteve representado por Albano Nunes, do Secretariado do Comité Central e responsável pelas relações internacionais e por Pedro Guerreiro, do CC do PCP e do secretariado político do Grupo Confederal da Esquerda Unitária Europeia/ Esquerda Ve

PCP saúda Partido da Esquerda da Suécia pelo resultado do Referendo

O Secretariado do PCP enviou ao Partido da Esquerda da Suécia «calorosas felicitações pelos resultados alcançados no Referendo de ontem» salientando que «o claro “não” do povo sueco, apesar de todas a poderosas pressões e a comoção que abalou os dias que precederam a votação» constitui um importante incentivo à luta por um outro rumo para a UE e por «uma outra Europa, de paz, progresso e cooperaçã

Nos 30 anos do golpe militar no Chile

Abílio Fernandes, membro do Comité Central do PCP, está em Santiago do Chile, onde participa num Fórum Internacional por ocasião dos 30 anos do golpe militar no Chile, promovido pela prestigiada revista “América Livre” e pelo Instituto de Ciências Alejandro Lisschutz (ICAL).

Há trinta anos, os EUA estiveram no centro do golpe terrorista que derrubou o governo legítimo de Salvador Allende.

Sobre graves desenvolvimentos na agressão ao povo palestiniano

O PCP regista com particular inquietação as notícias que dão conta do assalto e ocupação do Ministério palestiniano da Cultura pelo exército de Israel em Ramalah.

Este novo acto de agressão insere-se numa escalada de violência e terror para a qual o presidente Yasser Arafat alertou na sua mensagem transmitida à Festa do Avante.

Encontro de Partidos de Esquerda da Europa «A questão social, a esquerda e o actual momento europeu»

Encontro de Partidos de Esquerda da Europa «A questão social, a esquerda e o actual momento europeu»

A convite do Partido Comunista Português realizou-se no dia 5 de Setembro em Almada (no Convento dos Capuchos) um encontro de partidos comunistas e outros partidos de esquerda da Europa com o tema “ a questão social, a esquerda e o actual momento europeu” em que participaram o Partido do Socialismo Democrático da Alemanha, o Partido Comunista da Bohémia e Morávia, o Partido Progressista do Povo Trabalhador - Chipre, o Partido Comunista da Eslováquia, a Esquerda Unida de Espanha, o Partido Comunista Francês, o Partido Comunista da Grécia, o Partido da Refundação Comunista de Itália, o Partido d

A propósito dos 58 anos das bombas sobre Hiroshima e Nagasaki - Para que as jovens gerações não esqueçam! Pelo Desarmamento Nuclear!

Durante muitos anos, a Humanidade evocará os dias em que, pela primeira vez, a bomba atómica foi usada pelo governo de um país contra o povo de um outro país, em que o governo dos EUA tomou a decisão de assim proceder bombardeando as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki.

Tal decisão foi tomada com o pretexto de acelerar a rendição do imperialismo japonês quando este já estava derrotado.

Iraque: o Governo deve explicações ao povo português, à Assembleia da República e ao Presidente da República

Quatro meses após a invasão do Iraque não se pode deixar de retirar as respectivas consequências e de pedir responsabilidades ao Governo português que fazendo suas as pseudo provas de Bush e Blair, mentiu ao povo português, ao Presidente da República e à Assembleia da República, e atrelou o nosso país a uma guerra ilegítima a pretexto de libertar o mundo da ameaça de armas de destruição massiva.

«Não»

Os textos de António Ribeiro Ferreira enviados de Bagdad levantam questões que não podem ser ignoradas.

Nem do ponto de vista político, nem do ponto de vista ético, nem do ponto de vista profissional.

Não estão em causa as opiniões de Ribeiro Ferreira acerca do conflito no Iraque.

Foram de incontido apoio à intervenção americana, ultrapassando por vezes talvez o razoável e evidenciando uma cegueira e um sectarismo difíceis de aceitar.

Trata-se, contudo, do exercício de um direito que inquestionavelmente lhe assiste.