Nota do Gabinete de Imprensa do PCP

PCP condena nova intentona golpista contra a Venezuela

PCP condena veementemente a nova intentona golpista contra a Venezuela e o seu povo, protagonizada por forças de extrema-direita responsáveis por acções de grande violência, com o apoio de um grupo de militares, e o suporte da Administração norte-americana de Trump e de governos reaccionários do chamado Grupo de Lima.

Uma nova intentona golpista que, na sequência das derrotas das provocações de 23 de Fevereiro e de 6 de Abril contra a Venezuela, e em afronta à ordem constitucional venezuelana, é dirigida contra o legítimo Presidente, Nicolás Maduro, e para submeter a República Bolivariana da Venezuela aos ditames dos EUA.

O PCP denuncia a sistemática acção de desestabilização, tentativas de golpes de Estado, boicotes, acção terrorista, sabotagem do sistema eléctrico e do abastecimento de água, especulação e açambarcamento, sanções, bloqueio económico, financeiro, político e diplomático, e a ameaça de intervenção militar, através das quais os EUA procuram agravar a situação económica da Venezuela e as dificuldades que o seu povo enfrenta.

O PCP considera que o Governo português, ao invés da posição de não demarcação ante a violenta acção das forças golpistas e dos EUA, e do alinhamento na tentativa do seu branqueamento, deveria condenar a acção golpista e rejeitar a constante ingerência e operação de desestabilização e subversão de que são alvo a Venezuela e o seu povo. Será esta a posição que, em coerência com os princípios da Constituição da República e o Direito Internacional, defenderá os interesses nacionais, incluindo os da comunidade portuguesa na Venezuela.

O PCP reafirma a sua solidariedade às forças bolivarianas e ao povo venezuelano e à sua luta em defesa da Revolução bolivariana e da soberania da sua pátria.

>
  • Central
  • Declarações e Comunicados do PCP
  • Venezuela

Partilhar