Intervenção de Bruno Dias na Assembleia de República

"A proposta do PSD é um monumento à hipocrisia"

No debate em torno das questões da coesão territorial, o despovoamento, o envelhecimento e a depressão económica de muitos territórios no interior do país, Bruno Dias afirmou que "hoje o PSD voltou ao local do crime, para limpar as impressões digitais do que andou a fazer durante quatro anos."

Sr. Presidente,
Sr.as e Srs. Deputados:
Vamos assinalar na semana que vem a passagem dos cinco anos sobre a publicação, em Diário da República, da resolução aprovada nesta Assembleia, por proposta do PSD e do CDS, que falava do plano nacional para a coesão territorial, do relatório da coesão territorial, da execução do plano, da transversalidade e da integração do princípio da coesão territorial, do objetivo e princípio essencial da reorganização administrativa do Governo e da coordenação interministerial na promoção da coesão territorial. Tudo coisas ditas pelo PSD há cinco anos, nada que tenha sido feito. O PSD indignou-se por não haver medidas concretas de um programa com 15 dias, mas nada diz sobre a resolução aqui aprovada há quatro anos. É extraordinário, Srs. Deputados! Bem dizia o PCP, há cinco anos, que, ao ler a proposta do PSD, vinha-lhe à ideia duas frases feitas da sabedoria popular e da criminologia — «o criminoso volta sempre ao local do crime» e «o criminoso prepara o álibi para o crime que não tem dúvidas que vai cometer».
Hoje, Sr. Presidente, eis que veio o PSD outra vez ao «local do crime» para limpar as impressões digitais do que andou a fazer durante quatro anos.
É caso para dizer, Srs. Deputados, «Bem prega Frei Tomás; faz como ele diz não faças como ele faz!». O problema é que os senhores, que tanto falam em consensos, em estatutos e em territórios, não têm uma palavra sobre a regionalização e o que falta cumprir da Constituição da República. Os senhores que durante anos e anos correram o interior do País e as regiões e territórios de baixa densidade a encerramentos, que encerraram tudo o que mexia, estações dos correios, tribunais, escolas, freguesias, as próprias freguesias que foram extintas num processo do Governo anterior...
Termino já, Sr. Presidente. Como eu dizia, as populações das freguesias que foram extintas num processo do Governo anterior são agora brindadas com artigos do projeto de lei do PSD sobre a forma e a regulamentação do encerramento de serviços. É um monumento à hipocrisia que o PCP não pode deixar passar em claro.

>
  • Assuntos e Sectores Sociais
  • Assembleia da República
  • Intervenções
  • Coesão Territorial
  • Depressão Económica
  • Despovoamento
  • Envelhecimento

Partilhar