Nota do Gabinete de Imprensa do PCP

Sobre o escândalo do novo aumento das Comissões Bancárias na CGD

Sobre o escândalo do novo aumento das Comissões Bancárias na CGD

Perante o anúncio de um novo aumento das comissões bancárias na Caixa Geral de Depósitos, que atingem já cerca de 450 milhões de euros por ano, o PCP considera que:

Se não é aceitável o número de operações já hoje taxadas pelo Banco Público e o valor atribuído a cada uma delas, equiparando-o a um qualquer banco privado cujo único objectivo é o lucro máximo, mais escandaloso é o facto de no espaço de um ano estas taxas sofrerem, com este, o terceiro aumento.

A actividade do Banco Público deve centrar-se na actividade bancária, na captação de poupanças e empréstimos, virando a sua actividade prioritariamente para o apoio às famílias e à economia, privilegiando as PME, e não procurar resultados pela via mais fácil que é aprofundar a exploração das famílias que acreditam na importância da existência do Banco Público.

O Governo não pode continuar a colocar-se na posição de que existe um regulador e por isso persistir em não intervir na gestão do Banco Público, impedindo que se mantenha uma gestão de natureza privada, que foi a verdadeira responsável pelo processo de reestruturação em curso.

>
  • Economia e Aparelho Produtivo
  • Central
  • CGD - Caixa Geral de Depósitos
  • Comissões Bancárias

Partilhar