Intervenção de Jorge Feliciano, XXI Congresso do PCP

Almada à Vitória!

Ver vídeo

''

Despedimento de 51 trabalhadores dos serviços municipais de higiene e limpeza urbana da Câmara Municipal de Almada; salários em atraso na empresa municipal ecalma/wemob; dívidas de centenas de milhares de euros às Juntas de Freguesia CDU; tentativa de pôr fim ao desfile popular comemorativo da Revolução de Abril na manhã de 25 de Abril; fim do almoço comemorativo do Dia Internacional da Mulher das trabalhadoras das autarquias de Almada; asfaltamento de dunas primárias na Fonte da Telha; perda do selo de qualidade de “Água de Excelência para consumo humano” pela primeira vez em dezenas de anos; asfixia e perseguição ao Movimento Associativo e Popular almadense e destabilização da criação e fruição artística e cultural no concelho; fim da Quinzena da Juventude; limitações ao uso das Casas da Juventude pela própria juventude e suas associações; enterramento de uma Linha de Muito Alta Tensão debaixo dos pés das populações da Charneca de Caparica e Vila Nova da Caparica; fim dos vários fóruns de participação, da juventude à cultura e também do desporto; fim do Carnaval das Escolas; abandono e ruína das piscinas de Almada Velha; abandono do Edíficio dos Paços do Concelho; demolição de Património Histórico – a antiga Escola Primária da Sobreda; alargamento das áreas pagas de estacionamento aumentando brutalmente o volume de coimas e multas cobradas; distanciamento da comunidade educativa e destruturação da excelente relação e entreajuda existente anteriormente; início do processo de retirada aos trabalhadores das autarquias do direitos à sua creche, ao serviço de saúde ocupacional e aos refeitórios; fecho do Museu da Música Filarmónica; as mais baixas taxas de excecução orçamental de que há memória; difamação vil e mentirosa dos eleitos da CDU e apoucamento do trabalho exemplar da CDU feito com os trabalhadores e as populações ao longo de mais de 40 anos.

Bom camaradas, por aqui nos ficamos que o tempo é curto mas poderíamos continuar por muitos mais minutos a listar as consequências directas e concretas da entrada da política de direita na Câmara Municipal de Almada, desde que há três anos e por escassos votos, o PS assumiu a sua Presidência.

Mas não se trata aqui de fazer uma mera lista de atrocidades, mas antes deixar a nú, para quem porventura ainda tenha dúvidas, ou para aqueles que vêem na “mudança” um bem em si mesmo ou uma poética lufada de ar fresco, que aquilo que se passa em Almada trata-se sim senhor de mudança, mas para pior, e mais do que isso, trata-se de um retrocesso, de uma inversão política, uma marcha a trás na história: passámos de uma política de esquerda ao serviço dos trabalhadores e do povo de Almada assente numa profunda relação de confiança, defendendo os seus interesses fosse perante quem fosse, interesses privados ou dos sucessivos governos PS, PSD e CDS juntos ou separados; para agora, com o PS, nos vermos perante uma política rasteira, de direita, sempre desconfiada das forças vivas do concelho, onde os interesses privados e a subserviência ao Governo se sobrepõem à defesa dos interesses dos trabalhadores e do povo de Almada.

Com o PS ALMADA PERDE, assim e bem resumimos nós a denúncia desta prática política que se concretiza, à vista de todos, nos exemplos aqui trazidos no inicio da intervenção e que todos eles temos denunciado e combatido.

Tal como o combate a esta política nefasta para Almada e os Almadenses tem sido um dever e uma prática dos nossos eleitos, dos trabalhadores organizados em torno do Partido e do Movimento Sindical Unitário e de Classe, dos Utentes dos Serviços Públicos, do Movimento Associativo e Popular, dos trabalhadores e agentes culturais e artísticos, das comunidades educativas e de tantos outros independentes ou longo destes três anos, é também nosso dever construir a vitória da CDU nas eleições autárquicas de 2021; é nosso dever para com os trabalhadores e o povo de Almada. É uma tarefa dos democratas Almadenses. É uma tarefa dos comunistas e dos seus aliados orgulhosos da obra realizada; determinados na sua resistência
de antes e de agora; convictos da sua razão e da sua capacidade em ouvir e mobilizar para transformar para melhor Almada, Terra de Abril, que tanto amamos e nos orgulhamos.

É uma tarefa que nos propomos fazer no dia a dia em todos os lugares e momentos, em todas as batalhas
que somos chamados a travar, recuperando a confiança e a esperança daqueles que a perderam, ouvindo, esclarecendo, propondo e mobilizando,

Prolongar e consolidar essa ação com o reforço do nosso Partido, é a tarefa que desde já se nos coloca para levar o povo de Almada à Vitória com a Vitória da CDU nas autárquicas de 2021.

Viva Almada, Terra de Abril!
Viva o XXI CONGRESSO!
Viva a JCP!
Viva o nosso Partido e a sua luta centenária!

>
  • Intervenções
  • XXI Congresso
  • Central
  • XXI Congresso do PCP