Intervenção de João Canas, XXI Congresso do PCP

As novas dinâmicas do PCP no concelho de Águeda

As novas dinâmicas do PCP no concelho de Águeda

Camaradas,

No período que decorreu desde o último Congresso foram dados vários passos na acção e intervenção do Partido no concelho de Águeda.

Foi possível, através da discussão regular, identificar e arredar bloqueios e dificuldades à intervenção do Partido.

Foi possível, pelo recrutamento e responsabilização de novos quadros por tarefas concretas, rejuvenescer e garantir a intervenção regular do Partido e reforçar a sua ligação às massas.

Foram muitas e diversificadas as acções do Partido:

Pelo Direito à saúde: intervimos junto da população de Belazaima do Chão, Castanheira do Vouga e Agadão, pela contratação de médicos de família para a extensão de saúde que serve aquelas freguesias que hoje se encontram sem médico; na Mourisca do Vouga pelas consultas presenciais, adiadas devido à pandemia; exigimos ainda a real valorização do Hospital de Águeda que teve, ao longo dos anos, várias valências retiradas.

Nas empresas e locais de trabalho a nossa presença tornou-se regular, esclarecendo os trabalhadores sobre as propostas do nosso Partido mas também ouvindo os seus anseios e aspirações. Esta intervenção regular permitiu ao Partido tomar conhecimento que a empresa HFA que, aproveitando-se da situação da pandemia, cortou o subsídio de alimentação aos trabalhadores em regime de teletrabalho. Pela denúncia e intervenção do PCP, foi possível reverter a situação e garantir a justa remuneração destes trabalhadores!

Junto do comércio local, desenvolvemos iniciativas de contacto com vários lojistas a fim de saber as suas dificuldades concretas, tendo em conta o contexto actual; no mercado municipal, fomos ao contacto com os pequenos produtores locais de frutícolas e hortícolas;

Pela defesa dos serviços públicos, com a recolha de um abaixo-assinado contra o encerramento do posto de correios das Barrosinhas.

Em defesa do ambiente, reunindo com as populações e associações pela defesa dos recursos hídricos, nomeadamente o Rio Cértima e a Pateira de
Fermentelos; na defesa do património histórico, como é o caso da Estação Arqueológica do Cabeço do Vouga.

Pelo direito à mobilidade, nunca baixamos os braços em defesa da valorização e modernização da linha do Vouga e foram várias as iniciativas desenvolvidas.

Ainda recentemente, em defesa da recuperação da Ponte sobre o Vouga, caída há 9 anos, que, para além do valor patrimonial, é claramente uma infraestrutura essencial à mobilidade das populações de Macinhata e Lamas do Vouga, lançámos um abaixo-assinado que conta já com cerca de 400 assinaturas e promovemos uma acção de luta que contou com a presença de cerca de 70 pessoas que nem a chuva, nem pandemia, nem a declaração do Estado de Emergência, foi capaz de desmobilizar.

É certo que em 2017, a CDU perdeu a sua representação na Assembleia Municipal, não contando hoje com nenhum eleito municipal, nem nas Assembleias de Freguesia. Mas mantemos a nossa intervenção, apesar de não regular, no período de intervenção do público.

Mais organizados, foi possível ir mais longe na discussão com a realização mais regular de plenários concelhios.

Mas ainda há muito por fazer.

É preciso ir mais longe na recolha financeira, na responsabilização de mais camaradas por tarefas concretas, é preciso incentivar a leitura e discussão do «Avante!» e do «Militante».

Por um território mais justo e coeso, as populações sabem que podem contar com o PCP e a CDU na defesa dos seus interesses. O modo como falam abertamente, como nos acolhem, como nos ouvem, dá-nos alento e cada vez mais força para continuar este processo de acção, de recrutamento e de responsabilização de novos quadros, para mais e melhor intervenção.

Viva a JCP!
Viva o PCP!

>
  • Intervenções
  • XXI Congresso
  • XXI Congresso do PCP