Intervenção de Carla Cruz na Assembleia de República

"PSD apenas quer branquear e limpar as responsabilidades da sua governação."

Sr. Presidente,
Srs. Deputados,
Sr.ª Deputada Teresa Morais,

O PSD traz a debate um conjunto de iniciativas sobre o envelhecimento, que, no passado, era «ativo» e, agora, é «positivo» — vejam bem!

A Sr.ª Deputada disse na tribuna que as iniciativas que apresentavam não eram meros anúncios. Sr.ª Deputada, nada mais falso, porque, o plano ou a proposta de plano apresentados são só um conjunto de generalidades e de enunciados! Isto porque de propostas concretas para resolver os problemas dos idosos, sobretudo, os problemas com que os idosos se confrontam na área da saúde, o que lá está é zero!

Mas vamos a exemplos concretos que estão lá e que demonstram qual é o objetivo final deste debate, que é, como já aqui foi dito pela minha camarada Diana Ferreira, branquear e limpar as responsabilidades que têm naquela que é a situação com que os idosos se confrontam no acesso à saúde.

Diz o tal plano que «…tem sido reconhecida a importância do envelhecimento ativo (…) para o reforço da saúde…», mas esqueceram-se de corrigir para «envelhecimento positivo». E diz também que «… se queremos uma sociedade mais desenvolvida (…) tem de (…) se procurar aumentar a esperança média de vida, acompanhando-a da melhor saúde possível…».

Sr.ª Deputada, nada mais hipócrita quando olhamos para as preocupações e para as políticas que tiveram relativamente à saúde! Qual era a preocupação do PSD quando fez um aumento brutal das taxas moderadoras que impediram os doentes de aceder a consultas?

E quando retirou a isenção de doentes crónicos, que são, na sua esmagadora maioria, doentes idosos e com que hoje se preocupam?
Onde esteve a preocupação do PSD quando alterou o modelo de transportes não urgentes de doentes que impediram muitos deles de ir a consultas, a tratamentos, a realizar exames médicos?

Onde estavam as preocupações do PSD quando encerraram serviços de proximidade, Sr.ª Deputada, e impediram estes doentes de ir a esse tipo de consultas, que evitavam que fossem para os serviços de urgência?

Sr.ª Deputada, sobre a dor, será que a grande preocupação dos doentes é a não formação dos profissionais? Preocupa-nos, de facto, não terem é acesso à terapêutica mais adequada, ao acompanhamento de profissionais. Mas onde é que esteve a preocupação do PSD relativamente a esta matéria? Não foi nenhuma nos últimos quatro anos! Bem pelo contrário, dificultaram o acesso e a vida dos profissionais de saúde que acompanhavam estes doentes.

Sr.ª Deputada, voltemos ao presente: onde é que estão as preocupações do PSD em resolver estes problemas concretos?
O PCP, nesta Legislatura, apresentou propostas concretas que resolveriam a vida destes doentes.
E o PSD como é que esteve? Votou contra, quando apresentámos propostas para revogar a portaria que encerrava serviços de proximidade e hospitais!

Votou contra, quando apresentámos um projeto que revogava o despacho do seu Governo, PSD e CDS, que promoveu o encerramento e a desclassificação de urgências de proximidade! Votou contra, quando apresentámos propostas para o reforço público dos cuidados continuados!

E agora estão tão preocupados no PSD?! São preocupações hipócritas e demagógicas para limpar as responsabilidades que têm na situação dos doentes em Portugal.

>
  • Assuntos e Sectores Sociais
  • Saúde
  • Assembleia da República
  • Intervenções
  • Envelhecimento
  • Idosos
  • Pensionistas
  • Reformados