Intervenção de Vítor Reis Silva, Membro do Executivo e do Secretariado da Direcção da Organização Regional de Castelo Branco do PCP, XX Congresso do PCP

Organização Regional de Castelo Branco

Ver vídeo

''

Camaradas delegados e convidados

A Organização Regional de Castelo Branco saúda o XX Congresso e todos os que não estando presentes dão corpo e voz a este grande colectivo, o Partido Comunista Português.

No distrito concretizámos a preparação do Congresso, com a análise, a reflexão e o debate vivo das teses, em cerca de 30 reuniões e plenários, com mais de 300 camaradas envolvidos, contribuindo indiscutivelmente para o reforço do Partido, a sua unidade e coesão.

O Distrito de Castelo Branco, com a emigração e a diminuição da natalidade vê a sua população diminuir e envelhecer desde 1960. Existem concelhos como Idanha-a-Nova, Penamacor e Oleiros que perderam mais de 60%.

A agricultura familiar é predominante, com explorações de micro e pequena dimensão, mas com a maioria a abandonar a actividade por falta de escoamento da produção.

A floresta abandonada sem reflorestação e sem ordenamento.

Na educação confirma-se a diminuição de população escolar no ensino não superior, 16,3% (acima da média nacional), existindo igualmente um decréscimo de alunos nas instituições de ensino superior na região.

A política de direita executada ao longo dos anos por PS/PSD e CDS foi demolidora:

- Com a destruição de postos de trabalho e menos emprego;

- Com um desemprego elevado e estrutural;

- Com uma precariedade elevada, chegando aos 57% entre jovens;

- Com a marca dos baixos salários;

É neste contexto que se desenvolve a luta

E foram muitas e importantes as lutas desenvolvidas, que aqui saudamos:

- As lutas nas empresas como dos trabalhadores das Minas da Panasqueira, da Covibus, da Gertal, da Resiestrela e da Valnor;

- A luta dos trabalhadores da administração pública pela reposição das 35 horas;

- A luta das populações contra o encerramento de escolas, e dos Infantários da Segurança Social concessionados a privados;

- A luta das populações contra a agregação de freguesias;

- A luta das populações contra as portagens na A23 e A25 e conclusão da linha da Beira Baixa com a ligação da Covilhã à Guarda;

- A luta pela manutenção de valências nos hospitais e na defesa da gestão pública do hospital do Fundão;

- A luta contra o encerramento de tribunais e por instalações dignas do Tribunal de Trabalho na Covilhã;

- A luta dos reformados dos têxteis pela reposição dos descontos nos medicamentos;

- A luta, em curso, contra a precariedade.

São igualmente importantes os passos dados ao nível da organização do partido no distrito:

- Com a realização da X Assembleia da Organização Regional reforçando a capacidade de direcção;

- Com mais camaradas a cobrar quotas e a vender o Avante;

- Com mais reuniões plenárias preparatórias deste Congresso, com mais participação de camaradas na reflexão e análise das Teses.

Camaradas

É necessário ir mais longe no recrutamento, na responsabilização de militantes, na estruturação do Partido, em particular nas empresas e locais de trabalho, na formação ideológica, no reforço da unidade, da coesão e do trabalho colectivo.

Só um Partido como o nosso liga o Congresso à vida, à luta, à intervenção e ao projecto libertador e emancipador do ser humano.

Também no distrito de Castelo Branco, estamos empenhados no reforço do Partido, na construção de uma política patriótica e de esquerda com a ligação às massas, identificando os seus problemas concretos e intervindo sobre eles, organizando-nos para reforçarmos a acção e a luta dos trabalhadores e do povo.

Viva o XX Congresso!
Viva a JCP!
Viva o Partido Comunista Português!

>
  • Intervenção
  • XX Congresso do PCP
  • Castelo Branco

Partilhar