Nota do Gabinete de Imprensa do PCP

Solidariedade com os presos políticos sarauís em prisões marroquinas

Solidariedade com os presos políticos sarauís em prisões marroquinas

O PCP expressa o seu mais veemente repúdio pela condenação a elevadas penas de prisão dos activistas sarauís, conhecidos como o grupo de Gdeim Izik, pelas autoridades marroquinas. Segundo foi divulgado, 8 dos activistas foram sentenciados a prisão perpétua, 15 sentenciados a um total de 289 anos de prisão, sendo que um aguarda ainda a sentença.

Recorde-se que estes activistas sarauís foram detidos em 2010, pelas forças de ocupação marroquinas, quando participavam no acampamento de protesto de Gdeim Izik, em que participaram milhares de sarauís nos territórios do Saara Ocidental ilegalmente ocupados por Marrocos, em luta pelo reconhecimento dos seus direitos.

Determinado a continuar a sua intervenção pela libertação dos activistas sarauís detidos pelas autoridades marroquinas, o PCP reafirma igualmente a sua solidariedade para com a legítima luta do povo sarauí e da sua legítima representante – a Frente Polisário – pelo fim da ilegal ocupação do Saara Ocidental por Marrocos e pelo respeito do seu inalienável direito à autodeterminação, visando a concretização do seu direito a um Estado independente e soberano, inseparável das suas aspirações à liberdade e ao progresso social.

O PCP reitera que é obrigação do Governo português, nos termos da Constituição da República Portuguesa, contribuir pela sua acção para uma solução justa para o Sara Ocidental, que passará necessariamente pelo cumprimento do direito à autodeterminação do povo sarauí, de acordo e no respeito do direito internacional e das resoluções pertinentes das Nações Unidas.

>
  • Paz e Solidariedade
  • Frente Polisário
  • Marrocos
  • Saara
  • Sara Ocidental

Partilhar