Declaração de voto de João Pimenta Lopes no Parlamento Europeu

Sobre as eleições na Venezuela

Manifestamos o repúdio às ameaças de mais sanções, medidas arbitrárias e discriminatórias contra a Venezuela, que violam abertamente os princípios da Carta das Nações Unidas e do direito internacional, bem como as ameaças explícitas de agressão militar por parte dos EUA contra este País.

Sublinhamos que a postura da UE em relação à Venezuela é contrária aos interesses do povo venezuelano e da comunidade portuguesa ali residente. Só uma atitude de respeito pela soberania e ordem constitucional da Venezuela contribuirá para assegurar a normalização da situação e a salvaguarda dos interesses da comunidade portuguesa naquele país.

O povo venezuelano tem o direito a participar nas eleições presidenciais de dia 20 de Maio, sem estar sujeito a quaisquer condicionamentos, ameaças ou pressões externas. A decisão da maioria do Parlamento Europeu de não reconhecer a priori as eleições do próximo dia 20 de Maio, é, para lá de um ataque à democracia, um inqualificável acto de desrespeito pela democracia, pela soberania e pela Constituição da República Bolivariana da Venezuela.

Reafirmamos a solidariedade com o povo venezuelano, com o legítimo governo da República Bolivariana da Venezuela e com as forças progressistas e democráticas que lutam em defesa da soberania e da paz, pelo desenvolvimento, a justiça e progresso sociais da Venezuela.
Votámos contra.

>
  • União Europeia
  • Declarações de Voto
  • Parlamento Europeu
  • Venezuela

Partilhar