Intervenção de João Pimenta Lopes no Parlamento Europeu

Sobre as consequências das crescentes desigualdades sócioeconómicas para os cidadãos

Os dados existentes traduzem a realidade inequívoca de crescentes e tremendas desigualdades na UE.
Desigualdades agravadas pelas políticas austeritárias da UE, que em países como Portugal teve gravíssimas consequências.
As políticas da UE e dos partidos que a seguem cegamente em Portugal, trouxeram a precaridade, o brutal aumento a exploração, desregulação laboral, o desemprego, a pobreza, o êxodo de centenas de milhares de cidadãos.
A luta dos trabalhadores e do povo, a acção firme dos comunistas portugueses, impôs a reversão de muitas medidas gravosas, permitiu o aumento de rendimentos, a recuperação de direitos sociais, com um impacto significativo para a população, ainda que de alcance limitado.
É o espartilho da governação económica e das políticas da UE que impõe essas limitações aos necessários avanços laborais e sociais, às políticas de desenvolvimento e investimento do país.
Assim o demonstram as recomendações específicas por país, ou o último relatório trimestral para a zona euro que afirma que Portugal tem uma excessiva protecção laboral dos contractos sem termo, desmascarando o logro que é o pilar social.

>
  • União Europeia
  • Intervenções
  • Parlamento Europeu

Partilhar