Intervenção de Miguel Viegas no Parlamento Europeu

Reforma do setor bancário

Já lá vai mais de uma década sobre a crise financeira de 2008. Mais de 4 bilhões foram gastos para salvar a banca. Em Portugal, foram 16 mil milhões de euros, 10% do PIB.
Nestes 11 anos após dezenas de directivas e regulamentos aprovados neste parlamento perguntamos: quais forma os avanços concretos?
É que em Portugal, a torneira continua aberta. Depois de usar cerca de 2 mil milhões de fundos públicos para recapitalizar o Novo Banco em 2018 e 2019, já estão previstas novas injecções para 2020 e 2021, totalizando 2,15 mil milhões de euros.
Sejamos claros, estas directivas e regulamentos, não passam de cosmética destinada a fomentar a contabilidade criativa dos bancos.
O que se impõe neste momento é o controlo público do sistema financeiro para colocar os bancos ao serviço da economia e não a economia ao serviço dos bancos como é manifestamente o caso actualmente.

>
  • União Europeia
  • Intervenções
  • Parlamento Europeu

Partilhar