Declaração escrita de João Pimenta Lopes no Parlamento Europeu

Reforço do ensino, da investigação e da memória do passado totalitário na Europa

Prosseguem vergonhosamente a tentativa da reescrita da história. Alimentam a falsificação do passado, criminalizando o comunismo, equiparando-o ao nazi-fascismo, branqueando hipocritamente os que tentaram escravizar uma parte dos povos europeus e promoveram uma aterradora guerra de extermínio. Pretendem apagar o contributo decisivo dos comunistas e da União Soviética para a derrota do nazi-fascismo, o seu papel nos avanços das condições de vida dos trabalhadores, o seu contributo para a libertação dos povos do jugo colonial, após a Segunda Guerra Mundial. Nenhuma tentativa de reescrever a História apagará este legado. O impacto e significado histórico e universal da Revolução de Outubro, mesmo após o desaparecimento da URSS, é ainda mais evidenciado no tempo em que vivemos. Um tempo que evidencia a natureza exploradora, opressora, agressiva e predadora do sistema capitalista e da União Europeia, permanentemente em confronto com os direitos e as aspirações dos trabalhadores e dos povos e que é responsável pelos crescentes problemas e perigos que a humanidade enfrenta.

>
  • União Europeia
  • Declarações Escritas
  • Parlamento Europeu

Partilhar