Nota do Gabinete de Imprensa do PCP

PCP condena agressão israelita contra o povo palestiniano

PCP condena agressão israelita contra o povo palestiniano

1 - O PCP condena veementemente a criminosa ofensiva militar contra a faixa de Gaza e a sua população. Uma ofensiva de bombardeamentos sucessivos e indiscriminados que se salda em, desde a madrugada do dia 8 de Julho, cerca de 30 mortos, entre os quais 8 crianças, 150 feridos e centenas de desalojados.

Esta ofensiva culmina um período de intensificação da constante acção repressiva do exército de ocupação de Israel em todo o território da Palestina, agravada, desde o dia 12 de Junho - alegadamente em consequência do desaparecimento e da posterior confirmação da morte de três jovens de um colonato israelita, em circunstâncias não esclarecidas - com uma campanha de punição colectiva contra as povoações palestinianas, com a demolição indiscriminada de casas, assassinatos e a prisão de centenas de pessoas, incluindo dezenas de crianças e deputados do Conselho Legislativo Palestino.

2 – A acção criminosa de Israel contra o povo palestiniano - que agora adquire a forma de mais uma agressão armada de grande envergadura - vem confirmar aquilo que já era uma evidência: o chamado processo negocial encenado pelos EUA não tinha outro objectivo senão o de tentar impor e consagrar a aceitação da efectiva ocupação da Palestina e a capitulação e abdicação dos direitos nacionais do povo palestiniano.

3 - Como as declarações de altos responsáveis da Administração Norte Americana confirmam, a campanha militar israelita em curso é suportada no continuado apoio político, diplomático e militar dos Estados Unidos da América e na atitude da União Europeia que se esconde no seu silêncio ou dissimula sob um falso discurso equidistante a cumplicidade efectiva com a política de terrorismo de estado de Israel.

4 – A agressão ilegal e ilegítima de Israel contra a Palestina é indissociável da ofensiva geral do imperialismo, no quadro da agudização da crise estrutural do capitalismo, que visa submeter os povos ao seu domínio e interesses e assegurar em seu benefício a exploração dos recursos naturais e o controle de posições geoestratégicas. Tal operação, que se estende do centro da Europa ao Extremo Oriente, de África à América Latina, e que assume em alguns casos contornos fascizantes, tem no Médio Oriente um dos seus principais alvos. Operação que visa impor um novo mapa político para a região, favorável aos intentos do imperialismo, por via da desestabilização permanente e “balcanização” da região. Neste quadro a acção de Israel constitui um elemento acrescido de preocupação que eleva, de forma particularmente grave, os riscos já existentes de uma confrontação militar generalizada de contornos e dimensões imprevisíveis.

5 - O PCP expressa a sua activa solidariedade com o povo palestiniano, com a sua heróica e determinada resistência e luta de libertação nacional frente à política genocida do Estado de Israel. O PCP expressa igualmente a sua solidariedade aos povos da região, nomeadamente ao povo Sírio, vítimas da política de ingerência e guerra levada a cabo pelos EUA e seus aliados da NATO e na região.

6 – O PCP reclama do Governo Português uma posição firme de condenação de mais esta ofensiva militar do exército israelita contra a população palestiniana e apela à mobilização da opinião pública na expressão dos sentimentos de solidariedade activa do povo português com o heróico e martirizado povo da Palestina, expressão essa tão mais importante quanto 2014 foi declarado Ano Internacional de Solidariedade com a Palestina.

>
  • PCP
  • Central
  • Paz e Solidariedade