Intervenção de Ilda Figueiredo, Membro do Comité Central, Encontro Nacional do PCP sobre as eleições autárquicas

A intervenção da CDU na cidade do Porto e a próxima batalha eleitoral

Ver vídeo

''

Camaradas e Amigos da CDU,

Saúdo todos os camaradas e amigos como candidata da CDU à presidência da Câmara Municipal do Porto, cidade que precisa da CDU, do seu olhar insubmisso, que dialogue com as suas gentes, ouça os seus queixumes, meta pés ao caminho e percorra com o mesmo interesse as alamedas floridas de Serralves ou as ruelas e travessas esburacadas de ilhas ou bairros esquecidos, como estamos a fazer, num contacto de proximidade nas diversas freguesias, constatando que os problemas dos moradores estão a ser ignorados , assistindo-se a uma degradação da qualidade de vida na cidade.

É cada vez mais claro que o Porto precisa de quem conheça o valor da persistência na luta pela igualdade de acesso à habitação condigna e de rendas acessíveis, aos transportes públicos, a espaços agradáveis de lazer e convívio, à educação pública de qualidade, ao desporto e à cultura onde o todo seja maior que a soma das partes por se ter incluído a inovação e criatividade que se desenvolvem com projectos plurais, suficientemente abrangentes e solidários, inclusivos.

A CDU tem tornado claro que não queremos um Porto onde dos portuenses e das suas tradições culturais haja apenas memória e vestígios arqueológicos, algum património cultural e reconstrução de eventos com mais ou menos holofotes.

Como temos afirmado, o Porto contemporâneo, cosmopolita, aberto à região e ao mundo, tem de ser construído com as suas gentes, a sua identidade, o seu passado e o seu presente, defendendo o seu património, pugnando por melhores condições de vida para quem ali vive e trabalha, pelo diálogo com as mais diversas instituições da cidade, que pare a expulsão de moradores e crie condições de regresso dos antigos moradores que o desejarem, dado que, nos últimos trinta anos, a cidade do Porto perdeu mais de 100 mil moradores.

A CDU, os seus eleitos e activistas, ao longo dos anos, deram um contributo muito importante para aprofundar o funcionamento democrático dos órgãos autárquicos onde participam e lutar pela transparência da sua gestão.

Por isso, no Porto, a CDU esteve contra a extinção de oito das 15 freguesias do Porto, contra a privatização da recolha do lixo, contra a entrega do sistema de parcómetros no estacionamento público a uma empresa privada, contra a as negociatas que envolvem o bairro do Aleixo, contra qualquer tentativa de privatização da gestão do Pavilhão Rosa Mota ou de outros equipamentos municipais, contra a privatização do metro e da STCP. Tal como estamos contra a municipalização da STCP, embora consideremos uma vitória da luta que sempre fizemos ao lado dos trabalhadores e dos utentes, ter impedido a sua privatização, como pretendia o governo PSD/CDS com a acomodação da maioria municipal, a mesma que agora aceita a municipalização sem cuidar de ver como se acautela o futuro de uma empresa que opera em seis municípios, alguns dos quais com grandes debilidades financeiras.

Num município onde um presidente dito independente, mas apoiado pelo CDS, a que depressa se juntou o PS, de tal modo que até desistiram de concorrer às próximas eleições, a CDU assume-se como o projecto alternativo para o Porto, com a sua voz activa, construtiva, empenhada, em defesa dos interesses das populações.

Por isso se impõe o reforço da CDU para dar maior impulso a uma gestão municipal que faça da defesa e promoção dos valores de Abril a sua bandeira, que pugne pela valorização das comunidades locais e pela promoção e aproveitamento sustentado dos diversos recursos regionais e locais em diálogo com os municípios vizinhos, designadamente no âmbito da Área Metropolitana do Porto, e com a Administração Central, exigindo também a concretização de investimentos públicos há muito anunciados e outros de que o Porto tanto precisa.

Pela capacidade de diálogo e de construção de pontes com os mais diversificados sectores da sociedade portuense, a candidatura da CDU é também uma garantia para assegurar que se desenvolverão todos os esforços para uma gestão municipal atenta à defesa e promoção do património material e imaterial do Porto, para o seu desenvolvimento equilibrado e inclusivo, com respeito pelos que ali vivem e trabalham, ciosos dos seus pergaminhos de luta pela liberdade e pela democracia.

Por isso, estamos na rua a desafiar todas e todos os democratas portuenses que se revêm nestes princípios, a juntar-se a nós, a apoiar a candidatura da CDU.

>
  • Encontro Nacional do PCP sobre as eleições autárquicas 2017