Intervenção de Cláudia Marinho, Vereadora na CM de Viana do Castelo e Membro da DOR de Viana do Castelo, Encontro Nacional do PCP sobre as eleições autárquicas

A Intervenção da CDU em minoria

Ver vídeo

''

Em nome da Direcção Regional de Viana do Castelo quero saudar este nosso magnifico encontro.

Com todas as especificidades das eleições autárquicas, na nossa região temos em curso um esforço da alargamento da CDU e de aprofundamento do contacto com as populações, prestando contas do trabalho realizado e procurando aproximar e envolver mais gente em torno de um projecto capaz de definir as soluções para os anseios das populações.

No distrito, apesar de trabalharmos e intervirmos no plano autárquico, principalmente em minoria, com excepção da Freguesia de Vilar de Mouros, em Caminha, e da União de Freguesias de Santa Maria Maior, Monserrate e Meadela, em Viana do Castelo, onde somos poder, podemos afirmar sem falsa modéstia que temos um trabalho exemplar apesar das dificuldades por vezes impostas pelas Câmaras.

Mas tirando estes dois bons exemplos de gestão CDU no Alto-Minho, a nossa intervenção passa no essencial pelo trabalho em minoria em 16 Assembleias de Freguesia, 7 Assembleias Municipais e uma Vereadora.

Camaradas

Nem sempre conseguimos ir tão longe quanto seria necessário mas, importa valorizar o bom trabalho feito no contacto e denuncia dos problemas concretos das populações, como são exemplo os vários documentos distribuídos de denuncia e de esclarecimento sobre as posições da CDU, desde Ponte de Lima a Caminha, passando pelos Arcos de Valdevez e Viana do Castelo.

Não foram poucas as vezes que a CDU deu voz ao descontentamento das populações, desde a denuncia da construção de uma Central de Betuminoso em Ponte de Lima, ao problema de estacionamento em Viana do Castelo ou dos Incêndios no Parque Nacional Peneda Gerês, nos Arcos de Valdevez, entre muitos outros.

Não obstante, são varias as pequenas grandes vitórias que têm sido alcançadas, sempre em abono do povo e dos trabalhadores.

Sim, porque os eleitos da CDU não fazem o seu trabalho em beneficio próprio, fazem-no em defesa não só daqueles que neles depositaram a sua confiança como em defesa até dos que votaram nos outros partidos e que, como acontece tantas vezes, agora lhes viram as costas. Também nisto nos diferenciamos dos outros partidos!

Camaradas

Também os restantes candidatos que não foram eleitos, assim como os demais apoiantes da CDU, devem no decorrer do mandato continuar a “fazer campanha”. Isto é, devem estar atentos às necessidades e anseios da população, devem ouvir a sua voz, devem canalizar essa informação para aqueles que foram eleitos de forma a tornar o trabalho mais ágil. Devem esclarecer o povo sobre o trabalho desenvolvido pela CDU, devem promover iniciativas. Especial atenção deve ser dada à edição de boletins online ou em papel, nos quais seja explicado aos eleitores o que tem sido feito em sua defesa.

Mas para termos uma CDU forte precisamos de um partido ainda mais forte para poder alargar a sua base de apoio, contactando com milhares de homens e mulheres que vêm no PCP e na CDU, uma força coerente que está ao lado das populações lutando pelas suas justas reivindicações.

Camaradas, por tudo isto quero aqui deixar uma mensagem de confiança na preparação destas eleições, e tudo iremos fazer para que no Alto-Minho, consigamos levar a força do trabalho, da honestidade e da competência a todas as Câmaras e Assembleias Municipais e a um maior numero de freguesias. Pois só com mais eleitos estaremos em melhores condições para defender as populações do nosso distrito e afirmar o projecto autárquico da CDU, contribuindo para a defesa de uma política que assuma os valores de Abril e contribua para a construção da alternativa patriótica e de esquerda que o País precisa.

>
  • Encontro Nacional do PCP sobre as eleições autárquicas 2017
  • Poder Local e Regiões Autónomas