Intervenção

Intervenção nas empresas e locais de trabalho

Intervenção nas empresas e locais de trabalho

Camaradas

É neste quadro de enormes exigências que é necessário um partido mais forte, que priorize a sua intervenção e organização nas empresas e locais de trabalho, tarefa prioritária para a ligação aos trabalhadores, a acção e a luta e o alargamento da influência do partido.

Na Organização Regional de Évora, prosseguindo a linha de trabalho de esclarecimento, unidade, organização e luta dos trabalhadores, tem-se colocado por um lado, a necessidade de aprofundar o conhecimento que temos sobre a realidade que nos cerca, e, por outro, a necessidade de maior envolvimento das organizações do Partido, na responsabilização de mais quadros, na criação e dinamização de células ou sectores profissionais, no recrutamento, no enquadramento e integração de militantes, na edição regular de documentos específicos e difusão da imprensa do Partido.

Nesse sentido, decidiu-se enquadrar cada vez mais camaradas por célula de empresa e local de trabalho, consolidou-se a intervenção nas células do sector da Administração Local e da Função Pública, constituiu-se um grupo de trabalho, destacou-se um funcionário de Partido para esta tarefa prioritária, definiu-se o levantamento dos militantes por organização, atendendo ao seu local de trabalho, criaram-se organismos operários nos concelhos de Arraiolos, Vendas Novas e Sector das Indústrias Eléctricas. Simultaneamente à integração dos militantes nos novos organismos, definiu-se um conjunto de empresas prioritárias.

Estreitámos a ligação aos trabalhadores, aprofundámos os seus problemas, estimulámos a sua intervenção, aumentámos as distribuições de documentos, a planificação de contactos direccionados, a realização de iniciativas, das quais se destacam a organização de dois torneios de futebol distritais para células e sectores operários.

Este caminho tem permitido aumentar a visibilidade dos problemas, a sua discussão no Partido e a rápida intervenção. São disso exemplo, os processos de luta na Marmetal, Rodoviária do Alentejo, Marbrito e RTS. Nesta última, em resultado desse acompanhamento recrutou-se o delegado sindical.

Destacar, ainda, os processos de luta na Key Plastic, onde está a ser aplicado um lay off fraudulento, e Kemet num processo de despedimento colectivo de 154 trabalhadores e deslocalização da linha de produção para o México.

Queremos daqui solidarizar-nos com a resistência e luta destes trabalhadores, exemplo de determinação e coragem na resposta contra os atropelos do patronato.

Há muito caminho por fazer, é necessário maior discussão nos organismos, maior responsabilização e formação de quadros. Temos consciência que as dificuldades e obstáculos que existem, não são impossibilidades e que, é nestas condições que temos de intervir e organizar, no fazer e refazer.

Viva a luta dos trabalhadores!
Viva o XIX Congresso!
Viva o Partido Comunista Português!

>
  • XIX Congresso do PCP
  • Trabalhadores
  • Central