Declaração escrita de Miguel Viegas no Parlamento Europeu

Iniciativa Europeia para a Juventude

O desemprego juvenil que rondam os 50% em alguns países é inaceitável. Em Portugal, cerca de 280.000 jovens não trabalham, não estudam, nem seguem qualquer formação. Na União Europeia, a taxa média de desemprego juvenil ronda 23%. Há dois anos, a Comissão lançou a Garantia para a Juventude. Não obstante, dois anos decorridos após a adopção da Iniciativa para o Emprego dos Jovens, os resultados são claramente insatisfatórios. A Comissária responsável pelo emprego anunciou agora uma dotação extra destinada ao préfinaciamento de operações de promoção do emprego jovem no valor de 1000 milhões de euros, destinada a apoiar directamente 700 mil jovens. Naturalmente que este reforço é bem vindo, apesar de vir tarde e de ser claramente insuficiente. Mas mais do que este reforço, o que gostaríamos de ver é, em primeiro lugar, uma avaliação da execução do programa até agora, para se perceber o que correu mal. Em segundo lugar, o que gostaríamos de ver são políticas efectivas de relançamento da economia, das quais os jovens iriam beneficiar muito mais do que com este programa.

>
  • Assuntos e Sectores Sociais
  • Declarações Escritas
  • Parlamento Europeu

Partilhar