Nota do Gabinete de Imprensa do PCP

Governo PS entrega a Brisa ao grupo Mello

1. Foi consumada a 4ª e última fase de privatização da BRISA, com o Estado a alienar a presença que detinha na empresa (4,764%) com um encaixe de 28 milhões contos, muito abaixo do mínimo de 30 milhões que tinha sido previsto.

2. Paralelamente, desenrola-se um processo de reestruturação da empresa que aponta para a "externalização" de um conjunto de áreas tais como: assistência a clientes, patrulhamentos, manutenção de equipamentos, etc., que, a consumar-se, pode conduzir à extinção de centenas de postos de trabalho.

3. O PCP não pode deixar de condenar e denunciar tais opções do Governo que ao mesmo tempo que entrega a Brisa nas mãos do grupo Mello não acautela a situação dos trabalhadores.

4. Por outro lado, trata-se de uma empresa que nos anos de 98, 99 e 2000 registou lucros na ordem dos 102 milhões de contos e, lucros estes, praticamente isentos de IRC. Que grande negócio! Mas também que grande prejuízo para o erário público!
Mais uma vez, para o Governo PS, não é o interesse nacional, dos trabalhadores e dos utentes que estão primeiro, mas o interesse do capital numa altura em que o Estado anunciou um plano de contenção da despesa que se vai reflectir sobretudo nos trabalhadores.

5. O PCP entende desde já alertar para a possibilidade de, em resultado da privatização e da entrada em vigor do euro em Janeiro, poder estar a ser preparado um aumento no valor das portagens num quadro em que por cada cem escudos pagos pelos utentes 50% são lucro para os accionistas.

6. O PCP reafirma a necessidade de alterar esta política por uma outra que defenda os serviços públicos e o interesse nacional e chama à atenção do Presidente da República, para mais este escândalo de um Governo que faz do leilão do património público um dos meios para aliviar a situação a que chegaram as finanças públicas em resultado dos erros da sua política.

>
  • Economia e Aparelho Produtivo
  • Central