Fórum de São Paulo aponta à intensificação da luta

Fórum de São Paulo aponta à intensificação da luta

Manágua, capital da Nicarágua, acolheu entre os dias 15 e 19 o XXIII Encontro do Fórum de São Paulo, que teve como lema «A nossa América em pé de luta! Até à vitória, sempre!».

Este encontro contou com a participação de partidos e forças democráticas, progressistas e revolucionárias de toda a América Latina e Caraíbas e com a presença de convidados de outros continentes. O PCP esteve uma vez mais presente, representado pelo seu deputado no Parlamento Europeu, João Pimenta Lopes.

O XXIII Fórum de São Paulo analisou e discutiu a actual situação política e social na América Latina e Caraíbas, marcada por uma grande ofensiva do imperialismo, nomeadamente do norte-americano, contra os direitos dos povos e os governos progressistas na região, protagonizada em cada país pelas oligarquias reaccionárias. Avaliado foi, igualmente, o recuo das forças progressistas em alguns países, como na Argentina e no Brasil, onde está em marcha um golpe institucional. Por outro lado, as vitórias alcançadas no Equador e na Nicarágua foram valorizadas no debate, onde se procedeu igualmente a um balanço do trabalho dos governos progressistas, perspectivando o futuro.

O Fórum valorizou a enorme resistência popular em diferentes países latino-americanos contra o golpismo, as medidas anti-sociais, as injustiças, a exploração, a ofensiva da direita e do imperialismo – mobilizações que dão esperança e alento aos povos de que é possível com a luta fazer frente ao imperialismo e construir um caminho de afirmação soberana, democrático, progressista, projectando a alternativa ao capitalismo. A solidariedade aos povos e os processos de luta, progressistas e revolucionários, que se desenvolvem na América Latina e Caraíbas esteve presente no Fórum, com destaque para a solidariedade com Cuba, a Venezuela bolivariana, os povos brasileiro e colombiano. Também esteve presente a solidariedade com outros povos do mundo, como com o povo saarauí e o Vietname.

Marcantes foram também as homenagens a Fidel Castro, Ernesto «Che» Guevara e Hugo Chávez, bem como a comemoração do Centenário da Revolução de Outubro.

Aniversário da Revolução Sandinista

A delegação do PCP teve ainda a oportunidade de participar nas impressionantes comemorações do 38.º aniversário da Revolução Sandinista, transmitindo à Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN) a solidariedade dos comunistas portugueses, desejando novos sucessos no prosseguimento e aprofundamento do caminho de afirmação da libertação e soberania nacionais, da emancipação e progresso sociais e da paz, solidariedade e cooperação entre os povos. Valores que estão no âmago da criação da FSLN e do triunfo da Revolução Sandinista na Nicarágua.

A presença em Manágua permitiu ao PCP a realização de vários encontros com partidos comunistas e outros partidos de esquerda e progressistas, o aprofundamento do conhecimento da situação na América Latina e Caraíbas, em particular da situação política e social da Nicarágua, e reafirmar o seu empenho no reforço da frente anti-imperialista. O próximo Fórum de São Paulo terá lugar em Cuba em 2018.

>
  • Actividade Internacional

Partilhar