Intervenção de André Escoval, Membro da Comissão Concelhia de Vila Franca de Xira, Encontro Nacional do PCP sobre as eleições autárquicas

Experiência no primeiro mês de campanha no terreno

Ver vídeo

''

Camaradas,

A Comissão Concelhia, em Vila Franca de Xira, em conjunto com outros organismos de direcção do Partido e os nossos aliados no quadro da CDU, no que diz respeito à batalha eleitoral autárquica que estamos a travar, tomou decisões e definiu objectivos - traçou o caminho.

O grande objectivo é vencer!

É devolver ao povo e aos trabalhadores a gestão da autarquia!

É defender o desenvolvimento e o progresso!

É defender as nossas populações e os trabalhadores.

Conquistar e alargar a nossa influência nas freguesias é igualmente um objectivo central.

Com a conquista da Câmara Municipal permitiremos mais autonomia e capacidade de intervenção às freguesias.

Retomaremos, no concelho de Vila Franca de Xira, a concepção e prática do Poder Local que em Abril construímos e que é determinante afirmar nos dias que correm!

Definimos como estratégia fazer uma campanha de contacto directo com a população, visitando tudo, procurando conhecer todos.

Fez na passada segunda-feira um mês que demos a conhecer às populações as decisões tomadas e os objectivos a que nos propomos.

A apresentação pública, ocorrida apenas quinze dias depois, foi uma grande acção de massas, na rua, com simbolismo cultural, e num dos locais emblemáticos da vida do concelho e votado ao abandono pela gestão do PS, que importa travar. Para esta iniciativa trabalhámos afincadamente. As muitas caras dos combates de sempre e as muitas caras novas que ali marcaram presença, deram-nos um importante alento.

Para esta fase da intervenção o trabalho que temos definido é ir Freguesia a Freguesia - e para nós freguesias são as onze originais e que pela reposição das quais continuamos a lutar – é ir lugar a lugar, bairro a bairro, rua a rua, pessoa a pessoa, local de trabalho a local de trabalho, até todas as pessoas individualmente consideradas estarem contactadas.

E contactar as pessoas para quê? Para aquilo que é fundamental nesta fase: ouvir, todas as opiniões contam; envolver, todos somos poucos a construir esta candidatura e a mudança que o concelho, a Área Metropolitana e o país precisam; esclarecer, porque a mentira e a manipulação, na boca do inimigo são armas fortes que importam desmanchar; decidir, e só melhor decide quem aferiu de várias sensibilidades, sabendo para onde quer ir.

Esta é uma campanha de massas não porque assente em grandes iniciativas – que como é natural também as realizaremos e serão importantes momentos de afirmação e força, mas porque é uma campanha suportada num estilo de trabalho de contacto directo com as pessoas. Campanha de massas ancorada na acção intensa dos candidatos e activistas que, mediante planos de trabalho definidos e com intervenção estruturada na base dos objectivos e linhas de força da CDU, efectivam uma verdadeira capacidade de ouvir e integrar as opiniões no projecto da CDU.

Uma campanha que na sua planificação, programação e iniciativas tem permanentemente presente a preocupação de evidenciar o carácter distintivo da gestão CDU, nomeadamente na participação e integração real das populações e dos trabalhadores.

Uma campanha positiva, que não recusando o debate político e a denúncia, afirma sobretudo a proposta alternativa e a capacidade concretizadora da CDU.

Uma campanha serena, alegre e feliz, que desde o inicio se assume como ganhadora. O centro da atenção são os homens e mulheres que vivem e trabalham no concelho de Vila Franca de Xira.

Uma campanha consciente e orgulhosa da experiência concreta da CDU na gestão do município e em muitas freguesias, mas que assenta a sua intervenção essencialmente tendo dois eixos de análise e proposta: resolver os problemas actuais das pessoas e construir um futuro melhor para quem trabalha e vive no concelho. Uma campanha que suporta em acção e propostas concretas o lema - CDU, Fazer Hoje o Futuro!

O projecto CDU é um todo, Câmara, a Assembleia e as Juntas de Freguesia fazem parte desse mesmo projecto. Nesse sentido a campanha é igualmente única, integra e potencia as diferentes componentes: a campanha nacional, a campanha nas empresas e locais de trabalho e a campanha direccionada para sectores específicos como a juventude, o movimento associativo e popular, a cultura, o desporto, a educação, os comerciantes, os micro, pequenos e médios empresários, bem como linhas de trabalho especifico para as redes sociais.

Camaradas,

Com a confiança e força da experiência do projecto CDU não pode haver qualquer hesitação no alargamento da recolha de contributos sobre linhas programáticas ou soluções concretas.

E que experiência temos tido neste mês de trabalho. Muitos quilómetros percorridos, muitas dezenas de horas na rua, muitas conversas e reuniões, muita disponibilidade para connosco conversar, sedimentar a certeza das decisões que tomámos.

Como é bom e dá força aquele trabalhador da autarquia que nos diz «força, temos de conseguir» ou «temos de mudar isto» , ou os vendedores do mercado que depois de uma visita nos solicitam que realizemos ali uma iniciativa de debate sobre os seus problemas em que eles possam participar, ou a praticante católica que nos vem dizer que gostaria de nos ter na procissão da Páscoa, ou o dono do restaurante que quer que o visitemos no dia em que a sua casa completa 35 anos, ou a artesã que nos contactou na rua e convidou a visitar o mercado biológico lá da terra, ou o comerciante que ao nos ver entrar diz, sorri e diz, «afinal ainda existo», contente por voltar a ter com quem partilhar os seus problemas e opiniões, um outros confessou-nos que os problemas são tantos que atravessou o pior mês comercial após 57 anos de porta aberta, em Fevereiro deste ano, são tantos os exemplos que aqui e já podíamos partilhar.

Sabemos o que faz falta às nossas gentes, ao nosso concelho e à nossa terra, sabemos fazer, temos um património de luta, intervenção e projecto, mas temos aprendido muito. E tanto temos ainda para percorrer.

Não hesitemos em entrar em cada porta aberta de espírito aberto, as pessoas agradecem; não nos condicionemos à partida com ideias pré-concebidas, as pessoas surpreendem-nos; consideremos as instituições mais do que para reunir com os seus órgãos sociais, para visitar os seus trabalhadores nos seus postos de trabalho e os seus utentes nas suas actividades; procuremos estar onde somos solicitados; um convite de um amigo ou um simples popular é um reconhecimento e alargamento da nossa acção; uma distribuição à porta de uma empresa é de um prestigio determinante; um mercado é uma praça de gente madura onde andamos entre os nossos, marcados pela vida, onde importa inculcar esperança e mobilizar. Alargar, alargar, alargar, procurando a unidade concreta em torno do projecto da CDU que apresenta soluções à população é fundamental.

No fim deste primeiro mês, temos a confiança de que o caminho é em frente, ao lado do desejo de mudança das pessoas, da construção do projecto da CDU e sobretudo temos a confiança de que desta batalha - porque a concretizamos no quadro da acção geral do Partido, porque assentamos a nossa intervenção nas solidas bases e princípios de funcionamento, porque temos sempre presente o projecto revolucionário do PCP – sairemos mais fortes e em melhores condições para prosseguir a luta contra a exploração e pela libertação da humanidade.

Viva a CDU!
Viva o nosso glorioso Partido, o Partido Comunista Português!

>
  • Encontro Nacional do PCP sobre as eleições autárquicas 2017
  • Poder Local e Regiões Autónomas