Declaração escrita de João Ferreira no Parlamento Europeu

Conselho Europeu de 24/25 de Março

Este Conselho Europeu decorre num contexto particular para Portugal. Em face do caminho que tem vindo a ser trilhado pelos senhores desta UE e da aplicação, no plano nacional, das receitas por eles ditadas - de intensificação das políticas recessivas, do aumento da exploração dos trabalhadores, de novas medidas anti-sociais que agravam desigualdades, aumentam o desemprego, a precariedade do emprego, a pobreza e a exclusão social - o país vê aprofundar-se a crise económica e social a níveis inauditos.

É neste contexto que o governo, com a pressão e o aplauso da UE, apresenta um novo pacote de medidas ditas de austeridade - o quarto.

É visível a intenção do directório de potências da UE de impor aos países de economia mais frágil um novo garrote, de cariz neocolonial, atacando a sua soberania, com a condicionalidade prevista na aplicação do Mecanismo Europeu de Estabilidade. Tudo isto, a pretexto da manutenção dos privilégios de que os grandes grupos económicos e financeiros têm gozado (em especial os dos países que integram o directório), para o que concorrem diversos instrumentos desta UE, como o PEC, a União Económica e Monetária e o Euro.

Perante isto, a resposta necessária deram-na os trabalhadores portugueses em luta, no passado Sábado, em Lisboa, numa grandiosa manifestação nacional.

>
  • Soberania, Política Externa e Defesa
  • União Europeia
  • Declarações Escritas
  • Parlamento Europeu

Partilhar