Declaração escrita de João Ferreira no Parlamento Europeu

Conclusões do Conselho Europeu de 28 e 29 de Junho de 2012

Este Conselho Europeu constituiu uma etapa mais no caminho da conformação dum quadro político-institucional que force um controlo férreo, por parte das instituições da UE, sobre cada país, arrasando com as soberanias nacionais, afrontando os mais elementares princípios e valores democráticos, tudo para intensificar a exploração, o ataque aos direitos e às condições de vida dos trabalhadores e dos povos e para prolongar a extorsão de recursos nacionais.
Concluiu-se o designado "semestre europeu", aprovando-se as "recomendações específicas por país que os Estados-Membros integrarão nas suas futuras decisões nacionais sobre os orçamentos, as reformas estruturais e as políticas de emprego".
Se olharmos para estas "recomendações", divulgadas pela Comissão Europeia e que agora querem implementar, percebermos o sentido e os objectivos deste "semestre europeu". Em relação a Portugal, a Comissão veio defender a redução dos salários e a redução da duração dos subsídios de desemprego. Num país que tem dos mais baixos salários da UE, em que o desemprego atinge níveis históricos e em que aumenta o desemprego de longa duração, fruto das políticas impostas pela UE e pelo FMI.
Foram os interesses dos grupos económicos e financeiros que estiveram mais uma vez em cima da mesa, como o demonstra também a decisão sobre a possibilidade de apoio directo à banca.

>
  • União Europeia
  • Declarações Escritas
  • Parlamento Europeu

Partilhar