Aumento das pensões de reforma por acção da CDU

Aumento das pensões de reforma por acção da CDU

À tarde, numa sessão pública no Largo General Humberto Delgado, em Moura, o Secretário-geral do PCP pegou nos exemplos do aumento das pensões de reforma e da reposição do subsídio de Natal para consolidar que, na actual legislatura, os deputados da CDU fizeram a diferença, com propostas para repor direitos e rendimentos, mas também garantir novas conquistas, que foram conquistadas a pulso.

«Estamos num concelho e num distrito que reflete bem os baixos valores de reforma e pensões da maioria dos reformados e pensionistas, que, pelos salários baixos e mesmo com longas carreiras contributivas ou pelo desemprego de longa duração, sobrevivem com montantes muito abaixo do limiar da pobreza», observou Jerónimo de Sousa, precisando que esta é «uma realidade que se alastra aos reformados das actividades agrícolas que recebem 252 euros por mês, bem como os abrangidos pela pensão social de velhice no âmbito do regime não contributivo da Segurança Social».

Neste sentido, valorizou as «medidas urgentes» avançadas pela CDU de «aumento geral e real das reformas, assente no compromisso de garantir aumentos anuais para todas as pensões, valorizando-as e assegurando a recuperação do poder de compra, com definição de um valor mínimo anual, em termos absolutos, que garanta um aumento mínimo de 40 euros ao longo da legislatura». Inscrito foi também «o compromisso de rever a legislação em vigor para assegurar princípios de actualização anual e a elevação do poder de compra de todos os pensionistas», recordou o Secretário-geral do PCP.

Propostas necessárias

Agora, a CDU propõe um aumento geral e real das reformas, com um mínimo de 40 euros ao longo da legislatura e de 10 euros a partir de Janeiro de 2020. Outro dos compromissos passa por rever as regras das pensões mínimas, garantindo de imediato a criação de mais dois escalões a partir dos 40 anos de descontos, para que cada ano de trabalho seja devidamente valorizado para cálculo do valor mínimo da pensão. A reposição da idade da reforma aos 65 anos, a revogação do factor de sustentabilidade, o direito à reforma sem penalizações com 40 anos de descontos, independentemente da idade, são, entre outras, propostas da CDU.

A sessão contou ainda com as intervenções de João Ramos e João Dias, respectivamente, mandatário distrital e primeiro candidato da CDU pelo círculo eleitoral de Beja. «Não pedimos apenas o vosso voto (na CDU), mas que todos sejam candidatos, que levem a palavra e o esclarecimento a todos os cantos do distrito. Vamos levar a luta até ao voto, vamos construir um grande resultado eleitoral, que nos vai orgulhar», apelou João Dias.

Antes teve lugar a actuação do Grupo Coral Feminino da ADASA de Santo Amador, que interpretou, entre outros temas, «É tão grande o Alentejo». A iniciativa contou, também, com a presença de João Dias Coelho, Jorge Cordeiro, dos organismos executivos do PCP.

>
  • CDU - Legislativas 2019
  • Central

Partilhar