Reforço do Partido no centro do debate

Reforço do Partido no centro do debate

A reunião regional de quadros da Organização Regional do Porto, realizada no dia 16, contou com a presença de dezenas de militantes comunistas com responsabilidade nas organizações concelhias e profissionais daquela região. A introdução às Teses ao XXI Congresso, que motivou a realização do encontro, esteve a cargo do Secretário-geral (ver texto principal nestas páginas).

A reunião da passada sexta-feira, realizada no Centro de Trabalho da Boavista, no coração do Porto, integrou-se no processo de preparação do XXI Congresso, iniciado em Março. Agora, após centenas de reuniões e plenários inteiramente dedicados à discussão dos tópicos que estiveram na base do documento das Teses, o colectivo partidário empenha-se numa nova fase de alargada discussão: esta última fase resultará na Resolução Política do Congresso, cuja realização está marcada para o final do próximo mês, em Loures.

Depois de Jerónimo de Sousa iniciar a discussão com a apresentação do conteúdo essencial de cada um dos quatro capítulos que compõem as Teses, seguiram-se dezenas de intervenções que se destacaram, não só pela diversidade de questões salientadas, como também pelo pontos em comum que salientaram.

Um dos temas mais abordados durante as quase quatro horas de discussão foi a campanha difamatória travada contra a Festa do Avante!, contra o PCP, os seus dirigentes e militantes. Se é verdade que durante os últimos meses se assistiu a um avolumar da campanha anticomunista a propósito da realização da Festa do Avante!, também o é que as várias ofensivas dirigidas pelos sectores mais reaccionários da sociedade portuguesa, pelo grande capital e pela grande comunicação social não são de agora. Pelo contrário, como um dos participantes afirmou, «desde que há comunismo que se travam ofensivas contra os comunistas».

O reforço da organização e intervenção partidárias, com tudo o que isso implica, foi outra questão sobejamente discutida. Todos os que se pronunciaram em relação a esta importante temática concordaram com a ideia de que é a força e coesão do colectivo partidário que dá a força ao PCP para enfrentar as várias ofensivas que contra ele são lançadas e para continuar a dinamizar a intensa actividade que leva a cabo diariamente junto dos trabalhadores e do povo português.

Partindo desse ponto comum, vários oradores realçaram a necessidade do avanço desta importante acção de reforço – e tantas e tão ambiciosas são as medidas apontadas nas Teses – e deram como exemplo do seu alcance e valor a campanha dos 5000 contactos com trabalhadores, que se saldou em mais de mil recrutamentos e na criação e reforço de células.

>
  • Notícias
  • PCP
  • XXI Congresso do PCP