Intervenção de Cátia Lapeiro, membro do Comité Central, XXI Congresso do PCP

Organização Regional de Lisboa

Ver vídeo

''

Camaradas,

Desde o XX Congresso, os comunistas na ORL desenvolveram a sua acção baseada em dois eixos centrais: a dinamização da luta de massas e o reforço do Partido.

Do vasto conjunto de lutas desenvolvidas pelo emprego, mais salários e defesa dos direitos, destacamos a participação nas acções gerais da CGTP-IN, sublinhando o último 1º de Maio, com um notável significado político e ideológico. Na administração pública central e local lutou-se pelas 35 horas, salários, carreiras e subsídio de insalubridade penosidade e risco; no ensino a luta dos professores, trabalhadores não docentes e educadores de infância; a luta dos profissionais de saúde. Muito mais sectores lutaram no distrito, mas na impossibilidade de referir todas as empresas e locais de trabalho, destacamos: na grande distribuição, as logísticas da Sonae, a Jerónimo Martins, o Pingo Doce, o Minipreço. A luta dos trabalhadores da Iberlim, OGMA, Seda Ibérica, INCM, Celcat, EDP, Ranstad, Triumph, Águas Tejo Atlântico, EPAL, CTT e PT. A luta na Carris, dos Assistentes Aeroportuários, na SPDH, no Metro de Lisboa, nas empresas rodoviárias e ferroviárias, do sector do Táxi e dos Estivadores do Porto de Lisboa. A luta na Matutano, Apapol, Avipronto, Servirail, Hotel Marriot, dos trabalhadores das cantinas e refeitórios, do Grupo Novo Banco, CGD, Fidelidade e da Lusa. A luta dos trabalhadores do Teatro Nacional de S. Carlos, da Companhia Nacional de Bailado, dos bolseiros do LNEC e da Universidade de Lisboa. Desta tribuna saudamos ainda os trabalhadores em luta neste momento na JAC Motors no Carregado e na ISS -Serviços de limpeza.

Avançámos também na dinamização da luta das populações. Por melhores transportes no Distrito, pela defesa dos serviços públicos, contra os despejos, contra o encerramento de estações dos CTT, balcões da CGD ou esquadras da PSP. Lutou-se pela água pública, por mais espaços verdes e em defesa da Cultura.

Destacamos a luta desenvolvida pelo Partido pelo alargamento do passe social intermodal, com recolha de assinaturas, acções de contacto, mini-comícios e manifestações. Luta que permitiu que em 2019 os utentes tivessem acesso a um passe social para todos os operadores e todas as carreiras, alargando a mobilidade com significativa redução de custos. Destacamos ainda as recentes acções do Partido contra os escândalos da banca, pela nacionalização do Novo Banco e em defesa do SNS, contra o desvio de recursos para privados.

Camaradas,

A IX Assembleia da ORL, realizada em Fevereiro de 2019, foi um momento alto do trabalho dos comunistas no Distrito. Prestámos contas, definimos orientações e prioridades, com destaque para o reforço nas empresas e locais de trabalho e para a independência financeira. Definimos orientações para aprofundar a ligação aos problemas concretos, no sentido de mobilizar e dirigir a luta pelos serviços públicos, para travar o processo de municipalização, pelo direito à habitação e pelo reforço da nossa intervenção em estruturas, como colectividades ou bombeiros, ou em movimentos com papel diferenciado, como das mulheres, dos imigrantes, do combate ao racismo ou da defesa da Paz.

No plano autárquico, com 13,63% de votos, o reforço da maioria na CM do Sobral, a manutenção da CM de Loures, a vitória em 14 freguesias, 21 vereadores, 71 mandatos nas AM e 260 em AF, confirmam a força da CDU, e o seu projecto distintivo que nos dá confiança para a batalha de 2021.

A organização trabalha para a próxima batalha eleitoral, para a Presidência da República, afirmando já nas empresas e junto das populações a candidatura dos valores de Abril, a candidatura do nosso camarada João Ferreira. Passado uma semana da sua apresentação, já tínhamos 200 apoiantes de várias áreas que não são militantes do Partido. Seguiram-se centenas de apoiantes, muitos deles vindos dos locais de trabalho. Recolhemos proposituras nas ruas e à porta de empresas. É trabalho feito, mas que não nos descansa no que temos a fazer até 24 de Janeiro.

Camaradas,
Destacamos a importância da campanha dos 5000 contactos no distrito: foram contactados 1380 trabalhadores e recrutaram-se 309. Uma iniciativa que ajudou a centrar a nossa intervenção nas empresas e locais de trabalho, como estilo de trabalho permanente, criando melhores condições para o alargar a influência e prestígio do Partido junto dos trabalhadores, assim como para reforçar as organizações de massas e as células. Esta é uma tarefa que cada militante deve concretizar diariamente junto dos seus colegas de trabalho: com audácia, persistência e com a confiança de quem afirma o Partido que sempre defendeu os trabalhadores. É de enorme importância a discussão que está a decorrer sobre a criação de novas células e novos responsáveis.
Podemos afirmar que temos um levantamento de 55 empresas em que se considera possível criar células e já foram responsabilizados 17 novos camaradas.~

Para a campanha nacional de fundos “O futuro tem Partido”, a organização regional está a avançar com empenho na concretização do objectivo a atingir nesta destacada tarefa para reforçar o nosso Partido centenário.

Camaradas, reforçar o Partido, estimular a acção política junto das massas e organizar a luta é o caminho para transformar o sonho em vida e construir a sociedade sem exploração nem opressão onde poderemos ser plenamente livres, o socialismo e o comunismo.

Viva o XXI Congresso
Viva a JCP
Viva o PCP

>
  • Intervenções
  • XXI Congresso
  • XXI Congresso do PCP