Declaração de João Ferreira, membro do Comité Central, Conferência de Imprensa

Sobre as eleições de 20 de Setembro de 2015 na Grécia

Ver vídeo

''

Numa primeira reacção aos resultados conhecidos das eleições na Grécia, salientamos que elas se realizaram num quadro marcado pela imposição de um terceiro memorando e de uma continuada campanha de pressão sobre o povo grego.

Os resultados confirmam a condenação dos partidos que historicamente são responsáveis pela situação a que a Grécia foi conduzida, num quadro de posicionamento do Governo SYRIZA/ANEL marcado por hesitações, contradições, cedências e claudicações que conduziram ao novo memorando.

O processo de ingerência da União Europeia e do FMI tem no novo memorando acordado pelo Governo SYRIZA/ANEL e apoiado pela Nova Democracia, o PASOK e o POTAMI o instrumento para prosseguir a política que levou a Grécia à catástrofe social e económica, a uma dívida insustentável e impagável, à pilhagem dos seus recursos, à subordinação à troika.

O PCP reitera a sua solidariedade aos comunistas, aos trabalhadores e ao povo da Grécia e à sua luta contra a política de exploração, de empobrecimento e de submissão aos interesses do grande capital, da União Europeia e do FMI, e por melhores condições de vida, pela recuperação de direitos e rendimentos, pela soberania e o desenvolvimento do seu País.

A evolução da situação na União Europeia e o processo em torno da Grécia demonstram a necessidade de rupturas com os processos de submissão aos interesses do grande capital financeiro e do directório de potências ao seu serviço.

O PCP reafirma que uma política comprometida com os valores da justiça e progresso social, do desenvolvimento soberano e da democracia, exige a libertação do País dos constrangimentos e dos instrumentos de dominação da União Europeia, do Euro, do Tratado Orçamental, da Governação económica, das políticas comuns.

>
  • Central
  • Declarações e Comunicados do PCP
  • Grécia