Rumo a uma grande vitória da CDU e do progresso de Aljustrel

Ver vídeo

''

Com os melhores candidatos, as melhores ideias e os projectos que melhor suporte dão às necessidades da população e do concelho, a CDU está a alargar os seus apoios a eleitores de outros posicionamentos partidários, avançando para conquistar a maioria e recolocar Aljustrel no rumo do progresso e bem-estar.

A forte participação na sessão de apresentação dos candidatos da CDU aos órgãos do município e das freguesias, no final da tarde de domingo, na Praça da Resistência, foi vista por Fernando Ruas como sinal de um bom resultado, a 26 de Setembro, e um sinal de confiança que dá força para a campanha eleitoral, rumo a uma grande vitória.

Na crítica ao executivo municipal, de maioria PS desde 2009, o candidato à presidência da Câmara observou que as freguesias têm sido esquecidas e merecem um investimento muito maior, para um concelho mais coeso.

Fernando Ruas condenou o uso de meios do município para produzir um «presta-contas» que é um documento de propaganda política, simplista e enganadora, tentando mostrar trabalho, de tal forma que apresenta um balanço de 12 anos, e não do último mandato, porque este representou quatro anos perdidos. Até lá foi colocado o edifício de ampliação do centro escolar, como se já estivesse feito, quando ainda nem começou.

Não têm, assim, credibilidade as promessas da maioria cessante, como seja a intenção de dar agora prioridade ao ambiente e à qualidade do ar. Nesta matéria, o que se fez deveu-se à persistência dos eleitos da CDU na Assembleia Municipal, estando por realizar a monitorização da qualidade do ar e do ruído, proposta que surge no programa da Coligação PCP-PEV.

Foi precisamente nas propostas que Fernando Ruas colocou o foco, reafirmando a determinação de fazer mais e melhor em todas as áreas.

O problema sério de poluição atmosférica que se vive na sede do concelho e a proposta da CDU de rastreamento permanente foram referidos também por Manuel Nobre, candidato à presidência da Assembleia Municipal, que salientou ainda a necessidade da urgente requalificação da rede de distribuição de água.

Na primeira intervenção desta sessão, Luís Bartolomeu, mandatário concelhio, notou que vivemos tempos difíceis, mas de promessas fáceis, apelando à mobilização para conseguir a mudança na gestão autárquica, pois o povo de Aljustrel já conhece o trabalho da CDU, cuja obra está à vista.

«O que este concelho é, em termos de desenvolvimento e progresso local, de criação de melhores condições de vida para o seu povo, deve-o à CDU e ao trabalho que, mandato após mandato, centenas de eleitos da CDU aqui fizeram, dedicando a sua disponibilidade a este concelho e às suas gentes, assegurando uma gestão democrática e participada», sublinharia, na intervenção de encerramento da sessão, o Secretário-geral do PCP.

Jerónimo de Sousa lembrou que «o povo deste concelho conhece a CDU, conhece o PCP» e «sabe que foi com eles que sempre contou em todas as suas lutas».

Por outro lado, «o povo de Aljustrel sabe que, quer no plano local quer no plano nacional, o PS esteve sempre do lado errado, dos poderosos, agrários e outros, do lado do capital intensivo que consome os nossos terrenos e hipoteca a nossa soberania alimentar, do lado da exploração dos trabalhadores, do lado da União Europeia e das suas imposições contra os interesses nacionais, do lado do défice para não dar resposta aos problemas dos trabalhadores e do povo».

Sobre «algumas vozes muito incomodadas», que resolveram «acusar a CDU de apenas exigir e não trabalhar», Jerónimo de Sousa contrapôs que «a CDU pede meças, em termos de trabalho e obra, seja onde for» e reafirmou que, «para lá do trabalho reconhecido, que fala por si, os eleitos da CDU não calam a exigência e a reivindicação do que é devido às populações por parte dos governos e da Administração Central».

>
  • Poder Local e Regiões Autónomas
  • Central
  • Aljustrel
  • Autarquias 2021
  • CDU