Intervenção de João Pimenta Lopes no Parlamento Europeu

Os inaceitáveis acontecimentos de Melilha, não se desligam das políticas de migração da UE

As imagens de Melilha são para lá de trágicas, são absolutamente inaceitáveis!

As instituições da União Europeia, tão lestas noutras situações, tardam em ouvir-se.

E porquê? Porque o massacre que ali tomou lugar é indissociável das políticas da União Europeia, que insistem numa visão desumana, selectiva, xenófoba, exploradora e criminalizadora dos migrantes. É indissociável da “UE fortaleza” e dos acordos que celebra com países terceiros para retenção, repulsão e expulsão de migrantes e refugiados, violando direitos humanos, desrespeitando o direito internacional. É indissociável da militarização das políticas de migrações.

Importa salientar que a estas trágicas dezenas de mortos, se somam mais de 800 mortes no Mediterrâneo só este ano!

Exige-se uma resposta rápida e solidária aos milhares de seres humanos que arriscam tudo pelo direito a uma vida digna e em paz.

Mas para lá disso, exige-se combater as causas, nas quais a UE tem responsabilidades, abandonar as políticas de desestabilização e agressão, no respeito pela soberania e independência dos Estados, dos princípios da Carta das Nações Unidas e do direito internacional.

>
  • União Europeia
  • Intervenções
  • Parlamento Europeu
  • Imigração
  • Melilha
  • UE fortaleza