Intervenção de Valter Cabral, membro da Comissão Política da Direcção Nacional da JCP, Comício comemorativo da Revolução de Outubro

«Com os olhos postos nestes 100 anos carregados de futuro»

«Com os olhos postos nestes 100 anos carregados de futuro»

Camaradas e amigos

Pável, o protagonista da obra “Assim foi temperado o aço”, lutador incansável em defesa da classe operária, dos trabalhadores e do povo da que havia de ser a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, jovem operário pouco mais que analfabeto que se tornaria jornalista ao serviço da causa maior da humanidade, é o retrato fiel do contributo da juventude para o êxito da Grande Revolução Socialista de Outubro cujo Centenário hoje aqui saudamos!

Saudamos em Pável, o herói anónimo, o contributo da Juventude para o processo histórico de emancipação dos explorados, dos oprimidos, dos trabalhadores e dos povos, para a sua própria emancipação.

A construção da sociedade nova provou que as capacidades e potencialidades transformadoras da juventude – força que ao serviço do sistema capitalista apenas é vista como peões ao serviço do lucro – podem, ao invés, servir a maioria, sendo cada um construtor e protagonista do devir colectivo.

Daqui saudamos também o exemplo dos jovens Iuri Gagarin e Valentina Tereskova, a quem a União Soviética permitiu ser os primeiros homem e mulher a viajar pelo espaço, e com eles todos os jovens que fizeram da União Soviética, num curto tempo histórico, uma potência nos planos cientifico e cultural!

Saudamos ainda Valentin Kotik, o mais jovem herói da União Soviética, morto em combate aos 14 anos pelos Nazis, e nele saudamos os milhões de soviéticos, em especial a juventude, que estiveram nas primeiras fileiras da derrota do nazi-fascismo, lembrando que apenas um sistema superior, o socialismo, poderia ser capaz de um tal feito, de entregar milhões dos seus filhos, para garantir os valores da paz e da amizade entre os povos.

O mundo é hoje diferente porque existiu a URSS cujos impactos são ainda vividos, desde logo pelo ânimo e contributo dado na autodeterminação dos povos. Daqui saudamos as gerações de jovens comunistas que se lançaram na conquista de profundas transformações, assegurando direitos nunca antes alcançados:

A erradicação do analfabetismo; o acesso à saúde, educação, desporto, protecção social e cultura; a jornada de trabalho de 8 horas diárias e a erradicação do desemprego; o direito à paz, amizade, cooperação e solidariedade.

Um processo que deu início à construção, pela primeira vez, duma sociedade sem explorados nem exploradores, a sociedade mais avançada, democrática e progressista da história. Uma nova época cheia de transformações e conquistas cujas consequências e impactos calam tão fundo na vida dos homens e mulheres, nos jovens dos nossos dias que demonstram que o socialismo é uma exigência da actualidade e do futuro!

Camaradas e amigos,

No momento em que o capitalismo, com a sua natureza exploradora, opressora, agressiva e predadora ameaça a humanidade, retirando direitos conquistados, fomentando a guerra, roubando a riqueza dos povos e galopando para um retrocesso civilizacional, fomenta ao mesmo tempo a mais brutal ofensiva ideológica dirigida à juventude, que assume expressões diversas e sofisticadas com o objectivo de condicionar a forma como as novas gerações vêm este grande empreendimento.

Aqui estamos. Saudando a Grande Revolução Socialista de Outubro, saudando Lenine e todos os seus construtores, para que nunca seja esquecida a profundidade dos direitos e conquistas da juventude e dos trabalhadores. Aqui estamos, com a alegria de quem sabe que, com a luta, mais direitos e mais futuro estão ao nosso alcance, de quem assume o compromisso de não desistir e de quem sabe que é não apenas necessário como possível, continuar a transformar!

Afirmava Lénine: “A Juventude é a Chama mais viva da Revolução”.

Quando, há 3 semanas, mais de 25 mil jovens de todo o mundo se juntaram em Sochi, no 19º Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes, em defesa da Paz e contra o Imperialismo; quando, no próximo sábado, na Voz do Operário, comemorarmos o 38º aniversário da Juventude Comunista Portuguesa, com a realização do Encontro Nacional do Ensino Secundário e da Conferência Nacional do Ensino Superior, apontando os caminhos da organização e da luta para a defesa, reposição e conquista de direitos dos estudantes; quando, a 18 de Novembro, estivermos com os muitos jovens trabalhadores que desfilarão na Avenida da Liberdade, respondendo à convocatória da CGTP-IN, é esse lema que queremos honrar.

Com os olhos postos nestes 100 anos carregados de futuro!

Viva a Juventude na Revolução!

Viva a Gloriosa Revolução Socialista de Outubro

Viva o Socialismo – futuro dos povos!

Viva a JCP

Viva o Partido Comunista Português

>
  • Centenário da Revolução de Outubro
  • Comunismo
  • Revolução de Outubro
  • Socialismo

Partilhar