Intervenção de Sandra Garcia, XXI Congresso do PCP

Organização Regional do Litoral Alentejano

Organização Regional do Litoral Alentejano

Camaradas

A vida política nacional atravessa uma fase de profundas contrariedades, com acentuado aproveitamento do patronato para aumentar a exploração dos trabalhadores, situação que só será possível combater e ultrapassar com a intervenção do partido e a luta.

Essa luta, no Litoral Alentejano, trouxe resultados positivos desde aumentos de salários para os trabalhadores da Martifer, que chegaram nalguns casos a 500€, ou os trabalhadores da REN em 340€ entre outros, além de se ter conseguido um acordo colectivo para os trabalhadores da Petrogal ao fim de mais de 100 dias de greve na Refinaria de Sines. Luta que também teve expressão nos trabalhadores das autarquias, exigindo a reposição de direitos roubados e a luta das populações em torno da saúde, entre muitas outras.

Luta que serviu também para reforçar o nosso Partido na ORLA. Apesar das dificuldades e insuficiências o Partido deu resposta às prioridades e principais tarefas.

Importante foi a realização da V AORLA, na qual rejuvenescemos os organismos e responsabilizamos novos quadros com tarefas nas várias áreas de intervenção do nosso partido.

Nas empresas e locais de trabalho deram-se passos importantes, apesar ainda de muitas insuficiências, com a reactivação de 6 células, a criação de 2 novas células e um organismo para o complexo industrial de Sines, com ritmos de trabalho diferenciados. Na campanha dos 5 mil contactos, recrutámos 58 militantes, de um total de 83 recrutamentos na ORLA, campanha que no quadro da criação das 100 células, 100 responsáveis, decidimos continuar.

No trabalho sindical criaram-se uma nova célula e 2 novos organismos, o que permitiu melhorar a intervenção do partido junto dos trabalhadores e a dinamização da sua luta.

Nos fundos temos dado passos em frente, nomeadamente reunindo a Coordenadora Regional dos Fundos e assumimos todas as responsabilidades da Organização Regional perante a caixa central, registando-se ainda insuficiências, principalmente na responsabilização de quadros.

Nas eleições autárquicas de 2017, mantivemos a maioria absoluta nas autarquias de Alcácer do Sal e Santiago do Cacém, conseguimos a maioria absoluta na Câmara Municipal de Grândola, mantivemos a maioria das freguesias e Assembleias Municipais e a presidência da CIMAL.

A ORLA deu também resposta às iniciativas regionais com presença em vários eventos na região, que constituem momentos de afirmação do Partido e de recolha financeira e demos um contributo importante para a construção e realização da Festa do Avante.

A DORLA tem mantido a sua regular actividade, tal como as principais organizações e células, mantendo a ligação aos seus militantes, aos trabalhadores e às populações, promovendo a discussão, o esclarecimento e a mobilização para a luta.

Uma vez mais nesta curva apertada veio ao de cima o melhor de muitos quadros, respondendo ao medo com coragem determinação e confiança, demonstrando o Partido Revolucionário que somos, o único partido em que a classe operária e os trabalhadores podem confiar.

Viva o XXI Congresso
Viva o PCP

>
  • Intervenções
  • XXI Congresso
  • Central