Nota do Gabinete de Imprensa do PCP

Sobre a Reunião do Grupo de Trabalho dos Encontros Internacionais de Partidos Comunistas e Operários

1 - O Grupo de Trabalho (GT) dos Encontros Internacionais de Partidos Comunistas e Operários (EIPCO) realizou, no dia 11 de Maio em Lisboa, uma reunião preparatória do 15º Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários que terá lugar em Portugal, no próximo mês de Novembro.

Entre membros do Grupo de Trabalho e outros partidos que participam no processo dos Encontros Internacionais estiveram presentes 9 delegações.

O Grupo de Trabalho analisou vários aspectos relativos à preparação do 15º Encontro Internacional, tendo sido realçada a importância de este se realizar na Europa, num contexto de profunda crise do capitalismo e da União Europeia, e em particular em Portugal, palco de intensas lutas dos trabalhadores e do povo.

O Grupo de Trabalho tomou conhecimento dos preparativos do 15º Encontro Internacional e apelou à mais ampla participação de todos os Partidos Comunistas e Operários integrantes deste processo, de modo a que o Encontro possa constituir um importante momento de intercâmbio de experiências e de definição de linhas de acção comum ou convergente visando a defesa dos interesses e aspirações dos trabalhadores e dos povos, e a luta pela justiça social, o progresso, a paz e o Socialismo.

2 - O Grupo de Trabalho decidiu que o 15º Encontro Internacional de Partidos Comunistas e Operários, que terá como Partido anfitrião o Partido Comunista Português, se realizará na cidade de Lisboa, nos dias 8, 9 e 10 de Novembro sob o lema:

“O aprofundamento da crise do capitalismo, o papel da classe operária e as tarefas dos comunistas na luta pelos direitos dos trabalhadores e dos povos. A ofensiva do imperialismo, a rearrumação de forças no plano internacional, a questão nacional, a emancipação de classe e a luta pelo socialismo”

O Grupo de Trabalho tomou conhecimento do programa de comemorações do centenário de Álvaro Cunhal e foi informado do convite que o PCP endereçará às delegações presentes no 15º EIPCO para assistirem ao comício comemorativo a realizar no dia 10 de Novembro, data do centenário de Álvaro Cunhal, destacada personalidade do movimento comunista e revolucionário internacional.

3 - O Grupo de Trabalho procedeu a uma troca de informações e opiniões sobre a situação em cada um dos países e no plano internacional. Nessa discussão foi expressa a solidariedade dos participantes para com os trabalhadores portugueses, em geral aos trabalhadores no continente europeu que se vêem confrontados com uma espiral de crise económica e ataques a direitos económicos e sociais, à soberania dos povos e à democracia, com efeitos devastadores no plano social. Foi expressa a opinião de que a situação no continente europeu revela, de forma muito visível, a real natureza e objectivos do processo de integração capitalista na Europa – A União Europeia – que cada vez mais se confirma como um pólo de natureza imperialista.

Foi ainda expressa grande preocupação relativamente à situação no Médio Oriente, em função dos grandes perigos de uma generalização de conflitos militares na região. Os participantes expressaram a sua mais veemente condenação dos recentes ataques israelitas contra a Síria e chamaram a atenção para o seu enquadramento numa possível operação de agressão em larga escala contra a Síria, pela aliança entre a NATO e o Conselho de Cooperação do Golfo. Denunciando as manobras de ingerência e instigação externa ao conflito sírio, os participantes reafirmaram a sua solidariedade para com o povo sírio, e a sua luta pelos seus direitos económicos, sociais e políticos, bem como pela defesa da soberania e integridade territorial da sua pátria.

Reiterando a defesa do direito de todos os povos a se organizarem para defender os seus direitos e para decidirem do seu próprio destino, os participantes apelam aos trabalhadores e aos povos de todo o Mundo para que se mobilizem e lutem pela paz no Médio Oriente, contra as ameaças e agressões imperialistas, nomeadamente contra a Síria, o Líbano ou o Irão, e em solidariedade com o povo palestiniano.

Foi reafirmada a solidariedade para com os processos de luta em curso em diversos continentes, como na América Latina, contra a ofensiva imperialista, pelo progresso, a independência e soberania, a paz, pelo direito ao desenvolvimento e pela construção de alternativas ao domínio hegemónico do imperialismo. Neste sentido os participantes expressaram a sua firme solidariedade para com o povo cubano e a sua revolução socialista e reafirmaram o seu compromisso de prosseguir a luta pela total libertação dos cinco patriotas cubanos. Foi também expressa a firme solidariedade para com o povo venezuelano e as suas forças sociais e políticas que resistem às tentativas, protagonizadas pela direita e extrema direita reaccionárias e golpistas com o apoio do imperialismo, de pôr em causa a vontade popular expressa nas eleições de 14 de Abril de prosseguir e aprofundar a revolução bolivariana.

Os participantes expressaram a sua preocupação com os recentes desenvolvimentos na zona do extremo oriente e pacífico sul e chamam a atenção para os perigos decorrentes do processo de militarização do pacífico sul conduzido pelo imperialismo norte-americano, factor de instabilidade acrescida indissociável da mais recente crise na península coreana.

Chamando a atenção para os perigos que decorrem do simultâneo aprofundamento da crise do capitalismo e intensificação da ofensiva imperialista, os participantes apelam ao desenvolvimento da luta dos trabalhadores e dos povos.

>
  • Central
  • Grupo de Trabalho
  • Álvaro Cunhal