Intervenção de Jerónimo de Sousa, Secretário-Geral do PCP, Encontro com a população

«O reforço da CDU é a sólida garantia de um voto que não é desperdiçado, que conta sempre para defender Palmela e as suas gentes»

«O reforço da CDU é a sólida garantia de um voto que não é desperdiçado, que conta sempre para defender Palmela e as suas gentes»

Camaradas e amigos,

Uma palavra de saudação aos trabalhadores e ao povo deste concelho.

Saudação que estendo em particular aos candidatos e activistas da CDU, aos nossos parceiros de coligação, às centenas de homens e mulheres sem filiação partidária que a integram.

E uma palavra para o Álvaro Amaro e para a Teresa Vicente que uma vez mais assumem a candidatara à presidência da Câmara e da Assembleia Municipal.

O concelho de Palmela tem ao seu serviço, desde as primeiras eleições autárquicas, o Trabalho, a Honestidade e a Competência dos eleitos da CDU.

Um percurso de intervenção que se insere no quadro do projecto autárquico da CDU, do envolvimento e da participação que a gestão democrática da CDU promove.

Palmela conta e continuará a contar com a CDU, com a acção dos seus eleitos, com o projecto distintivo que marca o seu percurso de intervenção.

Distintivo pelo trabalho que realiza, a dedicação posta na defesa do interesse público e ao serviço das populações.

Distintivo pela prioridades e opções que assume, pelo rigor posto na gestão da autarquia e no desempenho dos cargos públicos.

Distintivo pela valorização que assume dos trabalhadores da autarquia como mais uma vez se comprovou com a aplicação do suplemento de penosidade e insalubridade que conhece aqui, e nos concelhos da CDU, uma aplicação contrastante com o que se passa nas autarquias de outras forças políticas.

Sim camaradas, enquanto todas as 24 câmaras da CDU aplicam plenamente este direito conquistado, contam-se pelos dedos as autarquias de PS, PSD e de outros onde esteja em vigor, a seu contragosto.

Distintivo pelo respeito para com os compromissos assumidos e a palavra dada, pela prestação de contas que assumimos como dever nosso e direito das populações.

Distintivo pela voz que damos à defesa intransigente dos interesses do concelho e da sua população em defesa do direito à saúde, aos transportes, à educação, à cultura, à habitação, à segurança pública.

Sim, trabalhamos e fazemos obra. Mas não nos calamos perante os incumprimentos do que ao Governo cabe fazer.

Aqui neste concelho bem se pode dizer que se faz o que compete à autarquia e ainda se tem de fazer o que ao governo compete, e este não faz, no plano de resposta no plano da saúde, da segurança pública, da educação ou da habitação.

O trabalho e a obra estão à vista. As transformações na vida da população de Palmela e no progresso deste concelho são inegáveis.

Nomeadamente no crescimento e desenvolvimento económico, através do investimento próprio do Município e apoiando de forma particular, as micro, pequenas e médias empresas na concretização dos seus projectos empresariais.

No plano social com a prestação de múltiplos serviços às populações, tantas vezes da responsabilidade directa do poder central.

Mas também no plano cultural, não apenas na vasta oferta cultural que a câmara disponibiliza para a população poder usufruir, mas também no grande apoio dado ao movimento associativo e aos agentes culturais.

O trabalho e esforço da autarquia contrasta com a falta de resposta do Governo. É o caso da área da saúde.

Existem no concelho, mais de 63 mil utentes inscritos nas suas Unidades de Saúde e destes, mais de dez mil pessoas não têm médico de família. Muitas das unidades de saúde têm instalações a necessitar de obras de remodelação ou ampliação, não têm equipamento adequado e faltam profissionais de saúde.

Uma situação que as autarquias locais têm denunciado ao mesmo tempo que apresentam de soluções.

Disso são prova as cedências de terrenos pelo Município para a construção de novas Unidades de Saúde sem que o Governo assuma o que lhe compete.

Camaradas e amigos

Não descansamos sobre o trabalho realizado. Com novas ideias, propostas e projectos reforçaremos ainda mais a qualidade de vida das populações.

E por isso é tão importante que após o dia 26, o projecto distintivo da CDU, continue ao serviço das populações do Concelho de Palmela.

São muitas e justas as razões para apoiar e votar CDU!

Temos confiança de que é possível avançar e crescer, conquistando mais votos e mais mandatos.

É esse o objectivo directo destas eleições. É isso que no dia 26 se decide. Mas hoje está cada vez mais claro que não são só as freguesias e os concelhos que ficam a ganhar com a intervenção e o reforço da CDU e da sua gestão.

É o País que precisa do trabalho, da honestidade e da competência do PCP e da CDU para melhor defender os interesses dos trabalhadores e do povo.

Nestes últimos tempos os portugueses puderam verificar quão importante é ter esta força consequente que se congrega na CDU.

Sim, as próximas eleições autárquicas constituem uma batalha política de grande importância também para a melhoria das condições de vida do povo e pela solução dos grandes problemas do País.

Temos afirmado que há muitas batalhas a travar para assegurar um outro futuro e uma vida digna.

A batalha em defesa dos sectores produtivos nacionais.

A batalha da defesa e reforço do SNS que agora comemoramos o 42ª aniversário e que passa também pela valorização das carreiras e dos salários dos seus profissionais.

A batalha pela dignificação de quem trabalhou, onde se inscreve a inadiável valorização das pensões e reformas de todos quantos descontaram, incluindo os acima dos 658,20 euros.

A batalha da garantia de creches gratuitas para todas as crianças.

A batalha para garantir o reforço de investimento nos serviços públicos, na educação ou na cultura.

Mas também esse batalha hoje central da valorização e do valor do trabalho e dos trabalhadores.

Uma questão que se tornou fulcral na situação que se vive e que aí está expressa na realidade portuguesa, em consequência da política de direita de décadas e agora agravada no quadro da epidemia.

É para responder a esta situação premente que o PCP apresentou um conjunto de Projectos de Lei para dar solução a alguns dos problemas mais sentidos pelos trabalhadores.

Neles se inclui a iniciativa legislativa visando garantir o aumento do Salário Mínimo Nacional para 850 euros, o aumento geral dos salários de todos os trabalhadores, a valorização das suas carreiras e profissões que são uma emergência nacional!

Não há futuro para a vida dos trabalhadores nem para Portugal com baixos salários, desigualdades e pobreza.

A defesa da contratação colectiva e a reposição do princípio do tratamento mais favorável ao trabalhador, a limitação aos despedimentos, a limitação do trabalho nocturno e por turnos e a devida compensação e protecção dos trabalhadores a ele sujeitos, bem como a fixação do horário semanal das 35 horas para todos os trabalhadores, são medidas indispensáveis para promover a valorização do trabalho e dos trabalhadores.

O PS tem uma nova oportunidade para dizer ao que vai. Se a caminho dos braços do grande patronato, do PSD, CDS e seus sucedâneos ou se se posiciona do lado dos trabalhadores.

As 35 horas é o caminho que se impõe para assegurar a compatibilização da vida profissional, com a vida pessoal e familiar e uma medida essencial para garantir o pleno emprego, neste tempo de aceleração do desenvolvimento científico e tecnológico

São múltiplas as batalhas que temos de travar e em que estamos empenhados e essa é uma razão acrescida para apoiar e dar força à CDU que é, sem dúvida, a grande força de esquerda no Poder Local e da vida política nacional.

Sim, é para dar força à luta por tudo isto que mais autarquias, mais eleitos, mais votos na CDU são um contributo importante para poder dar novos passos no caminho certo – o caminho das respostas e das soluções aos problemas do País, dos trabalhadores e do povo.

Caros amigos e camaradas:

Quem nos conhece sabe que pode contar connosco, com o empenhamento dos nossos eleitos e a sua dedicação ao serviço das populações e do desenvolvimento deste concelho.

O reforço da CDU é a sólida garantia de um voto que não é desperdiçado, que conta sempre para defender Palmela e as suas gentes, que conta sempre para defender os serviços públicos e as funções sociais do Estado, que conta sempre para afrontar e combater interesses e negócios daqueles que querem sobrepor interesses privados ao bem público.

Faltam poucos dias para o acto eleitoral. É tempo de cada candidato, cada activista esclarecer e mobilizar para o voto, transformar o largo reconhecimento do trabalho que realizamos em voto que confirme, consolide e amplie as nossas posições. Com a consciência que não é hora de desperdiçar todos e cada um dos votos.

Em 26 de Setembro, vamos dar mais força à CDU, porque a CDU vale a pena!

Viva a CDU!

>
  • Central
  • Autarquias 2021
  • CDU
  • Guimarães