Intervenção de Jerónimo de Sousa, Desfile CDU

Que ninguém fique em casa, todos os votos contam! Cada voto na CDU decide do futuro!

Que ninguém fique em casa, todos os votos contam! Cada voto na CDU decide do futuro!

Camaradas e amigos,

Uma saudação muito fraterna a todos vós. Uma saudação que estendemos ao povo do Barreiro que mais uma vez acolheu a CDU; dando-nos mais força para intervir nesta campanha eleitoral à procura de soluções para o País; à procura de respostas aos problemas que atingem o nosso povo na luta por uma vida melhor.

Queria começar com uma declaração pessoal: tenho muito orgulho em pertencer a este colectivo de mulheres e homens que trava esta importante batalha eleitoral.

Quero apenas dizer-vos que aqui estou, para fazer tudo o que está ao meu alcance; com todas as minhas forças, para com os meus camaradas, amigos e companheiros da CDU, conseguir o melhor resultado nestas eleições, para que tenhamos mais força para servir os trabalhadores e o povo português.

Dia 30 de Janeiro, os portugueses que votam na CDU fazem uma escolha decisiva! Decidem reforçar a convergência para as soluções que o País precisa, para fazer uma política que resolva os principais problemas do nosso país.

O voto na CDU é decisivo para a construção de um Portugal melhor e mais justo.

Não aceitamos que os trabalhadores portugueses estejam condenados a ter salários baixos; Não aceitamos que os jovens só tenham empregos precários e mal pagos e sejam obrigados a emigrar; Não aceitamos que as rendas de casa sejam superiores aos salários; Não aceitamos que o capitalismo dê cabo do ambiente do planeta; Não aceitamos que a saúde e a educação não sejam para todos, e não permitiremos que acabem com o Serviço Nacional de Saúde; com a escola pública e com os serviços públicos em Portugal; Não aceitamos que quem trabalhou uma vida inteira não tenha direito a uma reforma digna; Não aceitamos que sejam barbaramente explorados os trabalhadores imigrantes que vivem em Portugal!

A CDU combate as desigualdades e as injustiças! Enfrentamos os poderosos e os exploradores!

E a esses lhes dizemos: Somos de um partido com mais de 100 anos; combatemos sempre o fascismo durante 48 anos. E estamos aqui! A dar combate aos retrocessos e aos projectos reaccionários, à estagnação e à recusa de respostas aos problemas nacionais.

Agora, como antes, a razão porque existimos é para servir os trabalhadores e o povo português. É essa luta que é a nossa razão de ser. São os trabalhadores e o povo que nos dão força permanente para agir.

Nós somos a força política que não só agora, mas também depois das eleições, vamos estar ao lado da luta para a defesa de direitos e para a conquista de melhores condições de vida para os jovens, para os trabalhadores e reformados deste país.

Camaradas,

Ao longo destas semanas, a CDU fixou-se no valor das suas propostas: na seriedade do seu compromisso com os trabalhadores e o povo português.

Partimos da realidade concreta. Das dificuldades de muitos a quem os impactos da epidemia sacudiram a vida. Dos muitos milhares de trabalhadores que têm baixos salários ou ganham o salário mínimo nacional. Dos que esperam meses por uma consulta no centro de saúde. Dos reformados cuja reforma é curta para fazer face ao aumento do custo de vida. Dos que tiveram de abandonar a sua casa porque o preço da renda disparou. Dos empresários esmagados pelos custos dos combustíveis e do crédito.

A vida concreta e os problemas que atingem milhões de pessoas são o resultado de muitas décadas. Décadas em que os interesses dos trabalhadores e do povo português, não estiveram no centro da acção governativa.

Batemo-nos por soluções que garantam a melhoria das condições de vida, mas também por um projecto para o País, por uma ideia de futuro vinculada aos valores de Abril.

Um projecto de futuro que não se conforma com os limites das opções do PS, nem se rende perante a proposta de retrocesso social que representa o PSD e os seus sucedâneos.

Queremos e lutamos pelo aumento geral dos salários e pelo aumento extraordinário de todas as pensões. Pelo reforço dos serviços públicos, com destaque para o Serviço Nacional de Saúde que precisa de ser salvo do assalto dos grupos económicos privados.

Queremos valorizar o trabalho e os trabalhadores revogando as normas gravosas do código do trabalho. Essas normas gravosas que são obra do PS e do PSD, e que estão a corroer salários e a liquidar direitos.

Queremos respostas na habitação! Queremos a revogação da Lei das Rendas e a garantia de que os contratos têm um período mínimo de 10 anos, se essa for a vontade do inquilino.

Queremos que os direitos dos pais e das crianças sejam assegurados com creches gratuitas, com habitação digna, com horários e salários que permitam a livre decisão de ter e cuidar dos filhos.

Não pactuamos com os milhões de euros que saem todos os anos para os paraísos fiscais. Nem pactuamos com a porta giratória entre as grandes empresas e governantes. Não aceitamos o favorecimento fiscal que é dado ao grande capital com os quase 30 mil milhões de euros gastos com essa obra “notável” de PS e PSD, que foi a privatização da Banca, com o rasto de corrupção que todos conhecem.

Queremos que o País seja menos dependente.

Queremos produzir cá muito daquilo que nos impuseram comprar ao estrangeiro. Queremos pôr Portugal a produzir; a criar mais riqueza e mais emprego qualificado, que crie condições para fixar os jovens.

Dizem-nos que não é possível... Aliás, dizem-nos sempre que não é possível… Foi assim antes e é assim agora.

Pois daqui relembramos que a eliminação do subsídio de Natal (que para alguns já era facto consumado) acabou por ser reposto.
Relembramos que muitos consideravam a gratuitidade dos manuais escolares uma utopia...concretizou-se em 3 anos.

A redução do preço dos passes sociais transformou-se em realidade! As creches gratuitas de que só o PCP falava foram aprovadas recentemente!

Sim, camaradas, fica claro que é a luta e a força que dão à CDU que rompe com as ditas impossibilidades, que torna em realidade aquilo que nos dizem ser impossível!

É dessa força que os grandes senhores do dinheiro têm medo. Esses mesmos, os que querem cercar o Povo português dentro do bloco central. Os que falsificam a realidade quando escondem que se vão eleger 230 deputados e não um qualquer primeiro-ministro.

Os que promovem forças e interesses reaccionários e tudo apostam na bipolarização- esse verdadeiro seguro de vida dos grupos económicos e financeiros e da política de direita que os serve!

Camaradas e amigos,

Nas próximas eleições é possível dar um passo no sentido de um Portugal mais justo e melhor. Esse passo é possível com a convergência de todos os que querem a solução dos problemas do país.

A CDU é a força que foi determinante para todos os avanços alcançados nos últimos seis anos. É a força que não desertou da resposta aos problemas dos trabalhadores e do povo perante a epidemia.

A CDU é a força mais consequente no combate à direita e à extrema-direita. O nosso percurso confirma que a luta pela liberdade e a democracia não são um acto proclamatório. Esta luta pela liberdade e a democracia é sim, uma acção firme e quotidiana.

A CDU é a força que muitos conhecem das lutas que travam na sua empresa; no seu local de trabalho; na sua comunidade, e que não aparece apenas nas vésperas das eleições.

A CDU é a força que transporta uma política diferente. Uma política alternativa, patriótica e de esquerda e um projecto de futuro para Portugal.

A CDU é a força que está ao teu lado, ao vosso lado, todos os dias!

Sim, o voto na CDU é o voto que dificulta a fuga do PS às soluções que são necessárias para o nosso povo.

É o voto que contará sempre para colocar a direita em minoria e impedir o retrocesso económico e social a que aspiram PSD e seus sucedâneos.

É com a força decisiva do voto na CDU a 30 de janeiro, que no dia seguinte às eleições se determinará a convergência necessária para a solução dos problemas.

É na CDU que está a força da convergência; a força que decide dos salários e das pensões; do SNS e do direito à habitação; do futuro das condições de vida das crianças e dos pais.

Como temos dito, o resultado da CDU está em construção.

Ao longo destes dias tornou-se claro aos olhos de muitos que o resultado da CDU é construído pela acção de muitas vontades.

Pois sim, camaradas e amigos, continuemos a construir esse resultado da CDU, esse resultado que tanta falta faz, para construir uma vida melhor.

Que ninguém fique em casa, todos os votos contam! Cada voto na CDU decide do futuro!

VIVA A CDU!

>
  • Central
  • CDU
  • Eleições 2022
  • legislativas 2022