Nota do Gabinete de Imprensa do PCP

PCP solidário com a luta do povo palestiniano

Por deliberação da Assembleia Geral da ONU, assinala-se hoje, 29 de Novembro, o Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestiniano.

Há décadas que o povo palestiniano luta para que se ponha fim à ocupação israelita e aos seus crimes, para que se cumpram finalmente as promessas internacionais de criação de um Estado soberano e independente nos territórios ocupados em 1967, com Jerusalém Leste como capital e assegurando o direito de regresso dos refugiados. No entanto, a realidade tem sido o desrespeito sistemático pelos direitos do povo palestiniano, a permanente violação de todas as resoluções e acordos por parte de Israel. É necessário e urgente pôr cobro a esta inadmissível situação.

Israel é responsável por uma sucessão sem fim de violações do direito internacional e de resoluções da ONU. É o prosseguimento da ocupação. São as constantes agressões na Margem Ocidental e os bombardeamentos sobre a sitiada Faixa de Gaza – como aqueles que no passado mês de Maio provocaram cerca de 250 mortos, entre os quais 65 crianças, e dois mil feridos. São as medidas que visam inviabilizar a criação de um Estado da Palestina conforme às resoluções da ONU, através da imparável construção de colonatos ilegais nos territórios ocupados ou do Muro do Apartheid. É a permanente expulsão de palestinianos das suas casas e terras, procurando alterar a composição demográfica do Estado de Israel que, de forma cada vez mais explícita, nega direitos fundamentais a populações seculares. É o criminoso bloqueio a Gaza e as dramáticas condições de vida da população palestiniana. São os milhares de presos políticos, sujeitos a torturas e violações dos seus direitos. É a opressão e perseguição sistemática de todo um povo.

A impunidade dos crimes de Israel só é possível porque conta com a cumplicidade das principais potências imperialistas, com destaque para os EUA, que utilizam o sionismo como instrumento da sua estratégia de agressão no Médio Oriente.

Neste contexto, é particularmente chocante e inaceitável que o Governo português não tenha procedido ao reconhecimento do Estado da Palestina – de acordo com os preceitos constitucionais em matéria de política internacional e com a recomendação expressa pela Assembleia da República neste sentido – e que não tenha expresso uma condenação dos criminosos bombardeamentos de Israel sobre a população palestiniana da Faixa de Gaza, em Maio deste ano. Manifestando um alinhamento com as políticas dos EUA, da UE e da NATO, o Governo PS assume sérias responsabilidades na inviabilização de uma solução política para os enormes problemas no Médio Oriente, na rápida deterioração da situação nesta região e ao nível internacional, nas crescentes ameaças à paz.

Neste Dia Internacional de Solidariedade, o PCP reitera a sua solidariedade de sempre à luta do povo palestiniano pelos seus direitos inalienáveis e apela ao reforço da solidariedade do povo português com a causa nacional da Palestina. Em particular, o PCP apela à participação nas acções de solidariedade que se realizam hoje, dia 29 de Novembro, nomeadamente as concentrações de «Solidariedade com a Palestina e pelo fim da ocupação e dos crimes de Israel», promovidas pelo CPPC, MPPM, CGTP-IN e outras organizações, que tem lugar em Lisboa, às 18h00, no Largo Camões, e no Porto, às 17h00, na Praceta da Palestina.

A Palestina vencerá!

>
  • Central
  • Paz e Solidariedade
  • palestina