Medidas de apoio aos países afectados pelo Ébola e acompanhamento da situação

O surto de Ébola está a afectar vários países de África Ocidental, particularmente a Libéria, Serra Leoa e República da Guiné, ameaçando tornar-se numa catástrofe humana se nada for feito para travar a sua acelerada transmissão. Segundo vários especialistas, a epidemia de Ébola surge numa escala completamente diferente de epidemias anteriores e em razão de uma resposta demasiado lenta.
Estamos perante países que enfrentaram décadas de guerras civis que destruíram quase por completo a sua frágil infra-estrutura, particularmente os sistemas de saúde, que se mostraram incapazes de tomar medidas clássicas de saúde pública; sistemas educativos muito débeis e incapazes de transmitir conhecimentos básicos de saúde; incapacidade para fazer chegar informação útil às populações; rápida proliferação do vírus em cidades que crescem desmesuradamente sem o correspondente acompanhamento da infra-estrutura básica de saneamento, serviços públicos de saúde universais. A situação degrada-se a cada momento.

Em face do exposto, pergunto ao Conselho:
- Que medidas concretas de apoio aos países afectados pelo Ébola – de curto, médio e de longo prazo – foram até agora discutidas e decididas?
- Qual o acompanhamento que está a ser feito desta questão?

>
  • Saúde
  • Perguntas
  • Parlamento Europeu