Pergunta Escrita à Comissão Europeia de João Ferreira no Parlamento Europeu

Luta contra a Malária - evolução e necessidades

A 25 de Abril assinala-se o Dia Mundial de Luta contra a Malária. Segundo as Nações Unidas, a cada minuto, uma criança morre de malária no mundo.
Apesar da evolução positiva que se vem registando – desde 2000, as taxas de mortalidade da malária caíram mais de um quarto globalmente e mais de um terço em África – são necessários maiores progressos. Alcançar taxas de mortalidade à beira do zero é uma das prioridades fundamentais da ONU para os próximos cinco anos.
Um teste de diagnóstico rápido custa cerca de 50 cêntimos de dólar e as doses mínimas de tratamento custam apenas 1 dólar americano. Uma rede mosquiteira que dura três anos e que pode proteger várias crianças custa cerca de 5 dólares. Estas são somas modestas, que poderão ser ainda mais reduzidas, caso se aposte a investigação para encontrar novas e melhores soluções. É necessário, além disso, investir mais na nova geração de tratamentos anti-malária para combater a crescente resistência do parasita e continuar a trabalhar para conseguir uma vacina.
No Dia Mundial de Luta contra a Malária, a ONU apelou a contributos para suprir a falta de cerca de 3,2 biliões de dólares de financiamento para alcançar e manter os cuidados universais anti-malária em África até 2015 – e para alcançar o objectivo de derrotar esta doença.

Solicito à Comissão Europeia que me informe sobre o seguinte:
1. Que apoios têm sido dirigidos pela UE para a prevenção e tratamento da malária nos países em desenvolvimento (para além das verbas destinadas ao GFATM)?
2. Que contributo poderá ser dado pela UE para suprir a falta dos 3,2 biliões de dólares de financiamento para alcançar e manter os cuidados universais anti-malária em África até 2015?

>
  • Saúde
  • União Europeia
  • Perguntas
  • Parlamento Europeu