Pergunta Escrita à Comissão Europeia de Miguel Viegas no Parlamento Europeu

Financiamento da investigação e desenvolvimento

Portugal, desde da intervenção da Troika, diminuiu drasticamente o financiamento das instituições de ensino superior em geral e das unidades de investigação e laboratórios associados em particular. Como consequência direta destes cortes assistimos à descontinuidade de inúmeros projetos de investigação e à saída do País de centenas de investigadores, comprometendo assim décadas de trabalho acumulado bem como o cumprimento das metas da estratégia Europa 2020

Concluída a primeira fase da avaliação de todas as unidades de investigação e laboratórios associados com vista ao financiamento para 2015-2020 realizada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, demonstra o efeito dos cortes na produção científica das unidades. Com efeito, com estes resultados preliminares, 22% das unidades ficam sem qualquer financiamento e 26%, ficando apenas com a classificação de bom, garantem apenas um financiamento residual que mal dará para o seu funcionamento administrativo.

Que avaliação faz da aplicação do memorando da Troika aplicado em maio 2011 em Portugal no toca ao financiamento das atividade de investigação e desenvolvimento?

Como pensa a Comissão Europeia tomar compatibilizar as políticas de austeridade com os objetivos da Europa 2020 e a necessidade de Portugal poder garantir condições básicas para o seu crescimento económico?     

>
  • Educação e Ciência
  • Perguntas
  • Parlamento Europeu