A estranha doença dos soldados búlgaros no Kosovo - Aritgo do Jornal «Avante!»

 

O texto que a seguir se reproduz, contando a estranha doença que afecta soldados búlgaros que prestaram serviço no Kosovo, chegou-nos via internet. A história vale por si e as fontes (*) podem ser confirmadas. Estamos perante um drama que responsáveis militares e políticos de países da NATO insistem em negar. E no entanto ele existe. As vítimas conhecidas são Danail Danailov, Emil Ivanov e Alexander Vassilev.

Sargento Danail Danailov, da quota alemã do KFOR. Esteve primeiramente no Hospital Alemão em Prisren. Deixou o hospital com o diagnóstico de "rhabdomyolisis" (deformação progressiva dos músculos). Voltou para Sófia e foi encaminhado à Academia Médica do Exército Búlgaro (AMEB). Os médicos ali declararam que o diagnóstico era falso e que Danailov estava saudável e apto a voltar para o Kosovo. Um dia depois Danailov teve de retornar à AMEB com insuficiência renal aguda (insufficienta renalis). Depois de permanecer alguns dias ali foi novamente declarado saudável e apto. Os médicos da referida Academia são todos oficiais do Exército Búlgaro e mantiveram-no a entrar e a sair das clínicas da AMEB durante várias semanas (ou seja, comportaram-se em relação a Danailov como se estivessem a tratar com uma batata quente!). Além disso tentaram obstinadamente manipular Danailov para fazê-lo acreditar que estava saudável e apto. Mas os sofrimentos de Danailov continuavam e agravavam-se. Os sintomas são: - Fica fatigado muito rapidamente; - Tem incessantes dores musculares na cintura e no tórax; - Está a perder cabelo; - Tem a pele coberta com erupções; - Ultimamente os seus dedos estão a ficar estranhamente encurvados. Danailov passou por quatro clínicas da AMEB entre a Primavera e o Outono de 2000. Acabou por ser enviado para a clínica especializada "Instituto para a Qualificação de Médicos". E ali o Dr. Ishpekova confirmou o diagnóstico dos seus colegas alemães. Em 11 de Outubro último os médicos das consultas da AMEB discutiram as condições de Danailov e recomendaram que fizessem um check-up no estrangeiro. O primeiro "Natoista" búlgaro, Solomon Passi, também chamado "o Atlântico" (é presidente do Clube Atlântico, na Bulgária) lançou a ideia de que Danailov deveria ir para a Alemanha. Mas o ministro da Defesa búlgaro não conseguiu arranjar tempo para enviar uma carta para Berlim a fim de pedir ajuda. Os funcionários do ministério justificaram-se com a ausência de acordo completo entre os médicos. Pouco antes do Natal Católico uma fonte não-oficial informou que o secretário de Estado da Administração do Exército Alemão estava disposto a subscrever um pedido formulado por médicos búlgaros para efectuar um check-up médico e para eventual tratamento no hospital do Exército Alemão na cidade de Ulm. Mas até o dia 5 de Janeiro ainda não havia confirmação oficial de Berlim.

Urânio pobre divisas ricas

Actualmente Danailov está em casa, na cidade de Svistov, sob os cuidados da sua mãe. Muitas vezes fica impedida de ir trabalhar porque o filho precisa dela em casa. Os remédios que anda a tomar (sobretudo vitaminas e drogas bio-estimulantes) são muito caros - cerca de 200 levas por mês, quando o seu salário como sargento é pouco mais de 100 levas (10.300 escudos). Durante quatro meses não recebeu o pagamento adicional em divisas pelo seu trabalho no Kosovo. O ministro da Defesa Boilo Noev (o "Natoista" búlgaro nº 2) declarou alegremente que estava em contacto com os seus colegas alemães e que finalmente acabaria por enviar o Sargento Danailov para a Alemanha (enquanto isso contenta-se em esperar pacientemente pela sua morte na própria Bulgária). O referido ministro da Defesa afirma confiar nos seus médicos da Academia Médica do Exército Búlgaro. Ontem à noite, 5 de Janeiro, um dos médicos daquela Academia, o general Zlatev, encheu o écran do meu televisor com a sua cara gorda, má e mercenária a fim de assegurar-nos que: 1) O urânio empobrecido é tão inocente como o leite materno: não pode provocar quaisquer doenças - Deus me livre! 2) Os soldados búlgaros no Kosovo estão óptimos e tão sãos como um pêro. 3) O sargento Danailov está tão saudável como dois pêros! O ministro da Defesa, o dito "Natoista" búlgaro nº 2, diz que está apenas à espera da conclusão dos médicos alemães para enviar Danailov para lá. Mas qual conclusão? Os médicos alemães do Hospital de Prisren já exprimiram a sua conclusão muito tempo atrás!. O que Noev, o ministro "Natoista", quer certamente dizer é que está impacientemente à espera de que a Sra. Danilova, a mãe da vítima, pare de lutar e se resigne à morte anunciada do seu filho - assim como ele próprio já parece bastante resignado. Os seus patrões do Pentágono e da NATO certamente exigiram-lhes que enterrassem o caso Danailov o mais fundo possível. O canal "DEN" da TV búlgara difundiu uma reportagem da cidade de Svistov. Danail parecia quase transparente, jovem e vulnerável - como um garoto perdido de 15 anos... Cansado. Traído. O jornalista perguntou-lhe se estava em contacto com os seus colegas do Kosovo e se eles também tinham queixas. Danailov respondeu que alguns deles tinham queixas mas que não ousavam falar disso por receio de serem afastados do exército. A sua mãe estava tão magra e pálida como ele. Mas ela mostrava vitalidade, no seu rosto havia uma cólera que já não se via no do filho.

O problema que não existe

Emil Ivanov: Colega de Danailov no Kosovo com sintomas semelhantes. Foi enviado para checku-up médico mas os resultados, aparentemente, foram classificados: ninguém os viu até agora. No auge dos casos Danailov e Ivanov (havia mais 13 outros soldados com estranhos problemas de saúde!) o ministro búlgaro da Defesa insiste que não existem problemas de saúde entre os soldados búlgaros no Kosovo! Alexander Vassilev (26): Voluntário búlgaro no Exército Jugoslavo durante a guerra dos EUA-NATO. Esteve no Kosovo durante os bombardeamentos. Queixas de Vassilev: - fraqueza geral; - tosse convulsa; - dores nos olhos. Disseram-lhe que tinha catarata em ambos os olhos - "muito estranho nessa idade", comentou o médico. Oitenta por cento dos seus amigos da tropa - tanto búlgaros como sérvios - apresentam as mesmas queixas. Um amigo seu de Belgrado precisou de recorrer à utilização de óculos somente um mês depois da guerra. Ao mesmo tempo apareceu um tumor no seu nariz e já não podia movimentar o ombro e o braço. Quando conversaram pela última vez os médicos de Vassilev insistiam em operá-lo. Depois disso não se teve mais notícias dele. Outro dos seus amigos de Nis contou-lhe de relatos da TV Sérvia (antes do golpe da CIA de Outubro, em Belgrado) acerca de bebés nascidos com deformidades. As subdivisões de química do Exército Jugoslavo estiveram no Kosovo para verificar o solo e o ar durante o bombardeamento. Um capitão das mesmas disse-lhe confidencialmente que a situação ali (naquele momento) era catastrófica. Vassilev teve um filho recentemente. O bebé teve alguns problemas com o pénis e precisou ser operado. O bebé também tem tosse convulsa persistente, adoece facilmente e demora a recuperar. Os media búlgaros anunciam também que uma equipa médica especial será enviada ao Kosovo para efectuar exames médicos aos soldados búlgaros ali estacionados. Mas equipas de médicos com patentes militares dirão só o que lhes for ordenado dizer. A propósito, Danailov pensa estar envenenado. Os media citam mesmo um veneno utilizado para tratar a madeira (proveniente do Kosovo) com que estivera a trabalhar. O diário búlgaro "Novinar", de 6 de Janeiro, informa que 14 tipos de venenos foram encontrados nos organismo dos rangers búlgaros que estiveram no Kosovo, segundo exames efectuados pela Academia Médica do Exército Búlgaro em Setembro de 2000. Um segundo soldado búlgaro voltou do Kosovo com o diagnóstico de Danailov: o Sargento Emil Ivanov. Mas os "exames" da Academia Médica do Exército Búlgaro diziam que o Sargento Ivanov estava são. Os médicos dali afirmam que tanto Danailov como Ivanov tem problemas musculares devido aos resfriados que muitos soldados búlgaros tiveram no último inverno. Mas quando Danailov foi evacuado para a Bulgária, na Primavera de 2000, já apresentava deformações musculares resultantes de intoxicação aguda. Pergunto a mim mesma quando finalmente eles chegarão a um acordo sobre aquilo que vão dizer em público. Será a deformação muscular devida a um resfriado? Ou, talvez, a intoxicação aguda? Neste momento, a única coisa conhecida é que as suas condições de saúde NADA têm a ver o Urânio Empobrecido - Não Há Qualquer Dúvida Sobre Isso!. O diário "Novinar" conclui com a informação de que os rangers búlgaros poderão ser retirados do Kosovo devido aos venenos espalhados ali. _____________ * Comentários e tradução de jornais búlgaros de 5-6/Jan/2001 de Bl. Doncheva Fontes: "24 Chasa", diário búlgaro, 05/Jan; "SEGA", diário búlgaro, 05/Jan; "Monitor", diário búlgaro, 05/Jan; TV Channel 1, TV "DEN".

>
  • Soberania, Política Externa e Defesa
  • Central
  • Artigos e Entrevistas