Intervenção de Inês Zuber no Parlamento Europeu

Eficiência Energética

É evidente que a problemática da eficiência energética pode e deve contribuir para alcançar os objectivos de uma melhor sustentabilidade ambiental e independência energética. No entanto, a persistência num modelo neoliberal que apenas tem contribuído, na prática, para aumentar os preços destes bens no consumidor final, aumentando também o exponencial lucro das empresas que operam nesta área. A energia deve ser considerada como um bem fundamental e de primeira necessidade e muitos comportamentos de consumo só podem ser analisados nessa óptica, o que quer dizer que muitas pessoas apenas consomem o essencial e tal não depende da falta de informação ao consumidor. O que acontece é que as empresas prestadoras deste tipo de serviços, como monopólios, aplicam preços muito caros. O conceito de liberalização do mercado, a ideia de que o consumidor pode escolher livremente o seu fornecedor, está longe de provar que contribui para a redução dos preços, muito pelo contrário. Nesse sentido, mais do que bonificar com ajudas do Estado as indústrias e empresas que têm menos custos com a energia, é imprescindível regulamentar os preços energéticos praticados pelas empresas prestadoras desses serviços.

>
  • Ambiente
  • Intervenções
  • Parlamento Europeu