CDU sai em defesa da ferrovia e da valorização do trabalho

CDU sai em defesa da ferrovia e da valorização do trabalho

No terceiro dia da campanha eleitoral, 24 de Setembro, Jerónimo de Sousa esteve, de manhã, no Entroncamento, para visitar as instalações da EMEF, empresa especializada em manutenção de material circulante em Portugal, que continua a viver uma situação preocupante, em resultado de muitos anos de opções estratégicas erradas de sucessivos governos.

A integração da EMEF na CP, anunciada para o próximo mês de Dezembro, e a integração de 120 novos trabalhadores foram dadas como exemplo da necessidade de se «avançar» e «não andar para trás». Por iniciativa da CDU, foi também possível, entre outras medidas, recuperar o direito às concessões de transporte para os ferroviários; repor o primado da contratação colectiva no Orçamento do Estado para 2016; romper com o congelamento salarial que vigorava desde 2009.

Falta investimento público

Só não se foi mais longe por obstrução do PS, sendo o impedimento da entrada de trabalhadores o exemplo mais flagrante. As críticas estendem-se à escassez de investimento público.

A CDU quis, por isso, sinalizar a «nova realidade» que «inverteu a situação de definhamento das oficinas» da EMEF. «Há 20 anos que não se compra um comboio para os nossos caminhos de ferro» e continuam a existir «problemas estruturantes», como a «falta de material circulante», alertou Jerónimo de Sousa, que durante a visita, encontrou trabalhadores com mais de 45 anos de descontos, que não conseguem obter a reforma por atrasos, de vários meses, nos serviços da Segurança Social. «Por três vezes, pelo menos, confrontei o primeiro-ministro em relação a essas demoras inaceitáveis. Na Segurança Social faltam mais de 1500 trabalhadores que poderiam dar resposta a estes e a outros problemas», salientou.

O Secretário-geral do PCP defendeu, por isso, um sector ferroviário uno, público e nacional, ligado ao aparelho nacional, reforçando a coesão nacional, assegurando a circulação de passageiros e mercadorias, contribuindo para a melhoria do meio ambiente e gerando emprego de qualidade, com remunerações e condições de trabalho dignas.

Na iniciativa participaram os candidatos António Filipe, João Luíz Madeira Lopes, Sónia Colaço, Ivo Santos e Júlia Amorim, bem como, entre outros activistas, Diogo d’Ávila e Telma Jorge, dos organismos executivos e regionais do PCP.

Durante o périplo pelas instalações da EMEF, Jerónimo de Sousa recebeu das mãos de um trabalhador a manifestação de apoio à CDU por parte de 111 ferroviários.

>
  • Economia e Aparelho Produtivo
  • Central
  • Comboios
  • EMEF
  • Ferrovia