Declaração de voto de João Ferreira no Parlamento Europeu

Bem-estar dos animais, utilização de agentes antimicrobianos e impacto ambiental da exploração industrial de frangos de carne

O modelo produtivista vigente que foi imposto aos agricultores e aos produtores pecuários coloca-nos hoje numa situação de alarme sanitário permanente. Ademais, há tendência para uma enorme concentração de capitais neste sector – de acordo com informações oficiais da UE, 1% das unidades produtivas são responsáveis por cerca de 95% dos frangos. A produção intensiva de animais, associado ao incentivo às mega-unidades de produção animal (muitas delas com condições técnicas e sanitárias não permitidas na UE), a utilização abusiva de medicamentos, incluindo antibióticos, e de factores de crescimento, tem impactes potenciais na saúde humana e na economia das pequenas produções pecuárias, com melhores condições para garantir uma produção mais próxima do consumidor, mais saudável e com menores impactes ambientais. A presente resolução, propondo precisamente a adopção de sistemas alternativos de criação de frangos de carne, a utilização de raças tradicionais e/ou de frangos para carne que permitam um maior bem-estar, ao promover a rastreabilidade dos frangos ou o controlo dos frangos que chegam de países terceiros, vai no sentido da protecção dos consumidores e da garantia de condições de bem-estar animal. Uma resolução cheia de boas intenções que vai contra a prática vigente na UE. Votámos favoravelmente.

>
  • União Europeia
  • Declarações de Voto
  • Parlamento Europeu