Intervenção de João Pimenta Lopes no Parlamento Europeu

Sobre a situação na Agência das Nações Unidas para os Refugiados Palestinianos

O subfinanciamento desta agência da ONU para os refugiados palestinianos não é de agora.

Aqui nesta casa sistematicamente temos proposto o reforço de verbas, chumbadas pela direita e social-democracia.

Mas o problema fundamental é a continuada e crescente agressão de Israel contra a Palestina e o seu martirizado povo.

Uma agressão que se agrava suportada pelo reconhecimento de Jerusalém com capital de Israel pela administração norte-americana, num apoio explícito à política sionista de Israel, em expressa violação do direito internacional.

Uma posição que não está desligada da sua estratégia de desestabilização do médio oriente.

Exigem-se acções firmes, nomeadamente no contexto da ONU, com vista à reversão desta decisão, ao fim da agressão de Israel à Palestina e ao reconhecimento do direito do povo palestiniano à edificação do Estado da Palestina, nas fronteiras anteriores a 1967 e com capital em Jerusalém Leste.

Reiteramos a solidariedade de sempre com o povo palestiniano e à sua legítima e heróica luta de sete décadas pelo direito à constituição dum Estado soberano e viável, e pelo respeito do direito de regresso dos refugiados palestinianos que a política de expansão e ocupação da Palestina por parte de Israel gerou.

>
  • União Europeia
  • Intervenções
  • Parlamento Europeu

Partilhar