Intervenção de João Pimenta Lopes no Parlamento Europeu

Sobre a situação das mulheres com deficiência

A União Europeia não se pode demitir de responsabilidades na degradação da situação sócio económica das pessoas com deficiência, onde as mulheres são duplamente discriminadas.

As políticas de austeridade, o recorte de direitos sociais e laborais, o condicionamento ao investimento nos orçamentos dos Estados em áreas como a saúde, a educação ou os apoios sociais não se dissociam do retrocesso social desta franja da população.

Todos os dias, os direitos fundamentais são negados às pessoas com deficiência: perpetuando as dificuldades de acesso ao emprego com direitos; nas limitações e desadequação da formação profissional; na perpetuação da pobreza e exclusão; na insuficiente proteção social; na falta de meios humanos, materiais e pedagógicos na Escola Pública para o adequado acompanhamento e inclusão efetiva de crianças e jovens; nas dificuldades do acesso a cuidados de saúde, medicamentos e terapias direccionadas; nas persistentes limitações à mobilidade; no acesso à cultura e ao desporto; entre outros.

Uma realidade que exige o reforço de políticas e de respostas públicas que deem resposta cabal às necessidades das pessoas com deficiência.

>
  • União Europeia
  • Intervenções
  • Parlamento Europeu

Partilhar